Lifestyle Segura, Rita Cadillac garante: 'Uma mulher aos 67 anos pode ser tão bonita quanto uma menina de 18'

Segura, Rita Cadillac garante: 'Uma mulher aos 67 anos pode ser tão bonita quanto uma menina de 18'

A ex-chacrete, que foi a Paris, na França, fazer intervenções estéticas, diz que o segredo para manter a autoestima é o jeito de pensar

  • Lifestyle | Brenda Marques, do R7

Rita Cadillac durante viagem a Paris, na França

Rita Cadillac durante viagem a Paris, na França

Marcelo Ruduit/ Divulgação

Aos 67 anos, Rita Cadillac mantém o hábito de beber muita água com canela em pau — ingrediente que, segundo ela, acelera o metabolismo —, além de acordar antes das 7 da manhã, lavar o rosto com água fria e sair para fazer caminhada. Ela também adicionou novos itens à sua rotina de cuidados: tomar colágeno e passar bloqueador solar.

"Como não posso pegar sol, tem que ser bem cedo ou no final da tarde", explica. A restrição e as mudanças são necessárias porque Rita fez uma série de procedimentos estéticos no rosto no fim de janeiro, em uma clínica em Paris, na França, chamada Divas Brazilian.

"A gente fez [aplicação] de fios de colágeno, botou um pouco de preenchimento nas olheiras, no contorno da boca e botox nas sobrancelhas", conta. "A viagem foi planejada para isso e eu aproveitei para passear", acrescenta.

Na ocasião, a cantora e dançarina publicou nas redes sociais um vídeo em que apareceu com o rosto coberto por xilocaína, um produto anestésico, a fim de evitar a dor causada pelos procedimentos — e mostrou sua reação em forma de gritos. "É um escândalo do cão", descreve. Mas não adiantou. "Senti muita dor. É que eu já sou dolorida por natureza . Sou muito sensível", revela.

Os procedimentos no rosto foram concluídos em 15 dias e ela voltou para o Brasil. Agora, segue esperando que os efeitos colaterais do processo se amenizem. "Estou começando a ficar satisfeita, porque está começando a desinchar", afirma.

Por outro lado, a última intervenção estética que a ex-chacrete fez no corpo foi uma lipoaspiração no abdome, há mais de 15 anos. Fora isso, ela só colocou silicone nos seios. E garante que está bem resolvida com sua aparência.

Eu não tenho esse problema [de autoestima]. Não tenho 67 anos, tenho 15. Não sou encucada com negócio de idade

Rita Cadillac

Jovem aos 67 anos

Quem vê suas fotos nas redes socias depara com uma mulher segura de si, que coloca uma lingerie, exibe curvas, sensualiza e faz carão. Tudo isso sem nenhum tipo de edição. Rita diz que apenas ajustes de luz, a produção de um "cenário maravilhoso" e a maquiagem — que agora "faz mágica" no rosto inchado — garantem o clique perfeito, que é também um reflexo da autoestima da artista.

"Eu não tenho esse problema [de autoestima]. Não tenho 67 anos, tenho 15. Não sou encucada com negócio de idade e também nunca fui magra, esquálida, que é o padrão mundial de beleza. Eu nunca fui e não posso ser", enfatiza. 

Na visão da eterna musa, o caminho para manter a autoestima elevada e o amor próprio após mais de seis décadas de experiência é o modo de pensar e de viver.

"É a cabeça que faz tudo. Eu faço tudo o que eu quero, na hora que eu quero e pouco me importo. Uma mulher aos 67 [anos] pode ser tão bonita quanto uma menina de 18. Basta ela estar se sentindo assim", assegura. "Tem dia que eu acordo sem me gostar e falo 'estou com 100 anos', mas também tem dia que eu estou com 15", reitera.

Experiente, enérgica e livre

Então, o que mudou entre a Rita de hoje e a Rita jovem? "Não mudou nada não. O que muda é que você fica mais experiente. Energia é comigo mesma. Se é para passar a noite em claro, eu vou passar", garante. Ela também se sente mais livre — mas isso é um reflexo da mudança coletiva, e não individual. 

"Agora a mulher tem mais liberdade. Você tem o direito de opinar, de querer ou não querer. Agora é muito melhor", avalia.

A artista ainda afirma que é a sua própria terapeuta: "Se eu tiver que chorar, vou chorar. Se tiver que gritar, vou gritar, mas é comigo mesma", conta. E se pudesse dar um conselho para a Rita do passado, seria sobre isto: "Seja mais corajosa e mais livre", conclui, sem titubear.

Últimas