Lifestyle Saiba o que é preciso para trabalhar nos parques da Disney dos EUA

Saiba o que é preciso para trabalhar nos parques da Disney dos EUA

Empresa oferece duas possibilidades para contratar estrangeiros, sendo o programa de intercâmbio para estudantes a mais popular

  • Lifestyle | Felipe Gladiador, do R7

Programa de intercâmbio da Disney atrai estudantes de diversos cursos

Programa de intercâmbio da Disney atrai estudantes de diversos cursos

Montagem R7/Arquivo Pessoal

Trabalhar nos parques temáticos da Disney, nos Estados Unidos, é o sonho de muita gente. 

Existem dois jeitos para um brasileiro realizar essa vontade. O mais popular é o Cultural Exchange Program (Programa de Intercâmbio Cultural), pelo qual estudantes de faculdades do mundo todo passam alguns meses trabalhando por lá.  

A segunda opção, com grau maior de dificuldade, envolve ter visto de trabalho americano para poder se inscrever no site Disney Jobs, onde são anunciadas vagas oficiais de trabalho da empresa. 

Por conta disso, vamos dar detalhes sobre o programa de intercâmbio da Disney, que pode trazer oportunidade para mais pessoas. 

Intercâmbio na Disney

No Brasil, a empresa STB é a responsável por organizar o programa de intercâmbio da Disney.

Para se inscrever e tentar uma vaga temporária nos hotéis, lojas e parques do complexo Walt Disney World, em Orlando, na Flórida, o candidato precisa estar na faculdade. 

O site da STB lista alguns pré-requisitos para quem está pensando em participar do processo seletivo. 

- Ter 18 anos até o início do processo
- Ser fluente em inglês
- Estar em qualquer curso universitário reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação), e estar cursando a partir do segundo semestre até a data de embarque do programa
- Estar disponível para começar e finalizar o programa entre os meses de novembro e março 
- Ter passaporte válido já no início do processo
- Apresentar comprovante de vacinação completa

Vale ressaltar que o participante será responsável por pagar as passagens aéreas, o seguro de saúde internacional, que é uma exigência da Disney, além de arcar com despesas como as duas primeiras semanas de acomodação, taxas de conservação do condomínio da Disney no qual vai morar pelos meses de programa e taxas referentes ao visto de estudante. 

Na parte de qualidades pessoais, a Disney, conhecida por seu tratamento aos clientes, procura pessoas que sejam extrovertidas e que possam se dar bem com os visitantes do mundo todo, além dos outros colegas do programa de intercâmbio, também vindos de diversos países.

Rosana Lippi, diretora de produtos da STB, falou sobre a grande procura pelo programa de intercâmbio: "Além de o programa estar bastante consolidado e ser conhecido no Brasil, sabemos que a Disney é uma das maiores empresas do mundo, referência em diversos segmentos. Portanto, ter a Disney no currículo é um sonho para qualquer profissional".

Lucas Müller participou do intercâmbio na Disney em 2019

Lucas Müller participou do intercâmbio na Disney em 2019

Montagem R7/Arquivo Pessoal

O jovem Lucas Müller fez o programa em 2019. O profissional de relações públicas trabalhou na atração de Piratas do Caribe, no parque Magic Kingdom, e revelou que a experiência influenciou sua carreira: "Eu sempre fui apaixonado pela Disney, então acho que ver de dentro a cultura da empresa, os bastidores, cada mínimo detalhe abriu muito meus olhos, até na minha formação como relações-públicas". 

Lucas deu mais detalhes sobre a função que exerceu no parque por alguns meses: "A rotina de trabalho era intensa, mas passava tão rápido pra mim. A cada 45 minutos trocávamos de posição dentro da atração, então era muito mágico, ver todos os dias de trabalho os fogos do castelo e a magia Disney na experiência diária. Acho que a melhor parte de tudo foi a independência que o programa me trouxe, as amizades e conexões que fiz com uma galera do mundo todo".

Tempo de duração

O programa de intercâmbio da Disney tem duração de dois a três meses, geralmente durante as férias de verão do Hemisfério Sul. 

Os participantes ainda podem ter 30 dias extras para viajar como turistas pelos Estados Unidos. Nesse período não é permitido trabalhar ou estudar. 

Outra informação importante é que o programa de intercâmbio da Disney só pode ser feito por quem nunca trabalhou lá antes, seja no Walt Disney World, na Flórida, ou no complexo de parques da Califórnia. 

A estudante de jornalismo Sofia Luppi está participando atualmente do programa. Ela trabalha no parque Magic Kingdom, na área Tomorrowland, entre as atrações de Monstros S.A., chamada Monsters, Inc. Laugh Floor, e o Carrossel do Progresso.

Ela explicou qual foi o grande desafio quando se inscreveu: "A parte mais difícil foi conter a ansiedade. Você tem várias coisas para fazer, mas se você tiver calma e paciência você vai". A estudante também falou sobre a sensação de se ver sozinha para realizar suas funções, depois de todo o treinamento: "A primeira semana sem treinadora foi a mais difícil, porque na hora do 'vamos ver' é mais difícil".

Apesar dos obstáculos, Sofia revelou que está amando a experiência: "Eu estou tentando aproveitar ao máximo, mas tem perrengues também, claro. São muitas emoções, mas sinto que no final vai ter valido a pena".

Sofia Luppi está participando do programa de intercâmbio da Disney

Sofia Luppi está participando do programa de intercâmbio da Disney

Montagem R7/Arquivo Pessoal

Funções e carga horária

As funções exercidas não têm necessariamente a ver com o curso universitário do participante e são escolhidas pela própria Disney, variando de trabalho em lojas, lanchonetes, restaurantes, como personagens, assistente de personagens, auxiliar de limpeza ou em atrações dos parques.

A jornada de trabalho é de 30 horas por semana, mas pode ser maior, contando com fins de semana e feriados, dependendo da demanda da empresa.

Cada participante recebe cerca de US$ 14 por hora trabalhada, o equivalente a R$ 73 na cotação atual da moeda americana.

Jean Victor Chican esteve no programa de intercâmbio em 2016

Jean Victor Chican esteve no programa de intercâmbio em 2016

Montagem R7/Arquivo Pessoal

O publicitário Jean Victor Chican, que fez parte do programa em 2016, disse que a parte do trabalho remunerado é um atrativo a mais: "O legal é que, apesar de você ter que pagar pelo seu visto, passagem e primeira semana de hospedagem, é um intercâmbio em que você garante que vai ter um emprego, salário e ainda vai conseguir se divertir muito. Os gastos não são tão altos quando comparados a outros tipos de intercâmbios. Fora que é uma experiência profissional muito positiva". 

Jean trabalhou no parque Epcot, na atração Living with the Land, que consiste em um passeio de barco. Ele revelou o que fez por lá e o que vai guardar dessa experiência: "Aprendi a controlar todo o brinquedo, quais as regras de segurança e como lidar com os guests — é assim que as pessoas que visitam o parque são chamadas. Não é uma atração com personagens, mas eu gostei por ser uma experiência completa de brinquedo, em que eu tive a oportunidade de organizar filas, falar com os guests, trabalhar em duplas com outros funcionários e participar da abertura e fechamento do parque, uma operação que envolve muitas pessoas. Eu amei trabalhar no Epcot, passava muitas horas lá e acabei conhecendo muitos detalhes do parque, criei um carinho muito especial. E o mais importante, fiz grandes amigos que levo para a vida".

O publicitário dá uma dica a quem quer participar do programa, especialmente com relação ao dinheiro e às vantagens de ser funcionário da Disney por alguns meses: "É importante saber que o salário é depositado semanalmente, e ele é proporcional às horas trabalhadas. Se o objetivo da pessoa é ganhar muito dinheiro é importante que ela pesquise sobre a carga horária oferecida pela empresa para cada posição. Mas mais do que tudo isso: se divirta, faça amigos, aproveite as festas e eventos e desfrute todos os parques do complexo com seus amigos. Você tem acesso livre a tudo, e vai criar memórias que vai levar para a vida".

Etapas do processo seletivo

A STB lista quatro etapas para que o candidato se inscreva e tenha a chance de ser aprovado no programa de intercâmbio da Disney.

As inscrições costumam começar no mês de julho, com data e horário estabelecidos pela STB. O candidato deve fazer seu cadastro e enviar todos os documentos necessários.

A segunda etapa tem uma palestra da empresa para explicar detalhes sobre o programa, como prazos, custos e preparação para as etapas seguintes.

Uma entrevista com a STB marca a terceira etapa. A conversa pode durar cerca de uma hora.

Se aprovado na terceira etapa, o candidato tem uma entrevista com a Disney e precisará entregar documentos solicitados caso seja aprovado. 

Sofia exibe sua tag de identificação na Disney

Sofia exibe sua tag de identificação na Disney

Arquivo Pessoal

Assim como Sofia Luppi, Jean Victor Chican destaca que todas as etapas trazem uma ansiedade grande aos participantes e dá uma dica para tranquilizar quem pretende se inscrever: "O processo seletivo não possui tantas etapas, mas é emocionalmente desgastante. O mais importante não é ter o inglês perfeito, mas ter o jogo de cintura na hora de se comunicar".

Rosana Lippi, diretora de produtos da STB, ressalta que o processo é mesmo uma entrevista de emprego: "É preciso estar atento aos pré-requisitos do programa e se preparar para a seleção, pois todo o processo seletivo acontece em inglês. Sempre lembramos os candidatos de que este é um processo seletivo de emprego, portanto todas as etapas avaliam os candidatos considerando o seu nível de preparação".

O publicitário diz que superou barreiras ao participar do programa: "Eu aprendi na marra a ter jogo de cintura para lidar com situações inusitadas, e esse foi um crescimento espetacular. Por exemplo, eu consegui falar com pessoas de nacionalidades e sotaques muito distintos".

Lucas Müller esclareceu outra dúvida comum de muitas pessoas que querem participar do programa: É possível escolher onde você vai trabalhar? "O processo todo é muito às cegas, você consegue dar opções com o que gostaria de trabalhar, mas só descobre basicamente lá com quem você vai dividir apartamento, seu local exato de trabalho e tudo mais", diz o profissional de relações públicas. 

Ele também disse que estar antenado é importante para quem sonha com o intercâmbio: "Eu acho que a maior dica é a persistência e ficar por dentro de cada novidade. Muita gente participa de grupos de Facebook, WhatsApp e cria já uma comunidade antes mesmo do programa para se atentar a cada notícia divulgada".

A concorrência também é grande, já que muita gente quer ter essa mesma oportunidade: "Por ano temos cerca de 8.000 pessoas que se aplicaram para o processo. Hoje, temos mais de 1.000 estudantes universitários brasileiros trabalhando nos parques e hotéis da Disney", revelou Rosana Lippi.

Artista PCD cria versão das princesas da Disney com deficiência

Últimas