Quem são os profissionais pagos para terminar relacionamentos

Conhecidos como wakaresaseya, agentes sabotadores atuam no Japão para 'facilitar' separações, o que inclui até seduzir um dos envolvidos

Wakaresaseya são pagos para romper relacionamentos

Wakaresaseya são pagos para romper relacionamentos

Freepik

Terminar um relacionamento quase sempre é difícil, mas, no Japão, existe uma maneira um tanto duvidosa de facilitar isso: basta contratar um dos agentes sabotadores.

Conhecidos como wakaresaseya, esses profissionais são pagos para acabar com casamentos e até criar provas para divórcios contestados, mesmo que isso signifique ter de seduzir o outro envolvido.

Foi assim, inclusive, que um caso de um wakaresaseya terminou em tragédia, em 2010. Chamado para por fim a um matrimônio, o sabotador acabou se envolvendo de verdade com a mulher que recebeu para conquistar, mas, quando ela descobriu a armação, tentou terminar o relacionamento com o amante. Revoltado, ele a matou.

Após o crime, o mercado de trabalho dos wakaresaseya ficou abalado. Porém, nos últimos tempos, voltou a ser bastante procurado. "Agências de wakaresaseya são vistas como empresas normais aqui no Japão. Eu também acho normal, se for ajudar na separação. As pessoas que contratam são mais discretas, então não há um preconceito em relação a isso", diz o japonês Daia Kato, ouvido pela reportagem do R7. "Mas não é um serviço muito divulgado, apesar de você conseguir encontrar anúncios na internet, jornais e até na TV."

Mas o que leva alguém a pagar outra pessoa para romper um romance? Para a psicóloga especialista em relacionamentos Amanda Fitas, o ser humano, além de ter certa dificuldade com conflitos, "quer sentir prazer e fugir da dor" — o que justificaria a terceirização de decisões assim.

"Tudo que gere uma carga emocional muito grande, como um término exige, pode criar uma sensação de que a pessoa não é capaz de lidar com aquilo. Então, como forma de evitar esse conflito, ela arruma um intermediário", afirma.

Amanda destaca ainda como a postura de evitar encarar o problema acontece em lugares que vão muito além do Japão, mesmo que de outras formas. "Em todo o mundo há pessoas que terminam por celular, por mensagem, ou até que somem e não terminam, justamente para evitar esse confronto".

A questão tecnológica citada pela psicóloga seria, inclusive, um fator determinante para o enfraquecimento das relações interpessoais. É o que explicam Cristiane e Renato Cardoso, autores dos best-sellers Casamento Blindado e Namoro Blindado.

"Quanto mais as pessoas se fecham dentro de um mundo digital, se especializam em 'relações' intermediadas por uma tela ou aplicativo, menos habilidades interpessoais elas desenvolvem. E, por isso, os relacionamentos sofrem", explicam os apresentadores do The Love School – A Escola do Amor, da Record TV.

O casal garante, no entanto, que quase sempre é possível salvar a relação — mesmo quando uma das partes quer terminar. Porém, é preciso esforço e atitude. "Cerca de 90% dos casais que ajudamos a recuperar não queriam mudar ao mesmo tempo. Sabe aquele jogo 'eu mudo se você mudar'? E aí ninguém muda", dizem. "Para quebrar isso, alguém tem de decidir mudar primeiro, ser e fazer melhor, independentemente do que o outro esteja fazendo", defendem.

Ainda segundo Cristiane e Renato, dá para evitar que um casamento chegue a esse ponto, e o segredo é "não permitir que os problemas pequenos cresçam". "Crise conjugal acontece quando um ou mais problemas são deixados sem solução e atenção no relacionamento. Nada de empurrar para debaixo do tapete. Casais inteligentes são rápidos em lidar com os problemas no nascedouro", dizem.

O relacionamento não tem mais solução. Como terminar?

Na contramão do que os wakaresaseya oferecem — rompimentos baseados em mentiras —, Cristiane e Renato Cardoso afirmam que, caso um relacionamento tenha realmente chegado ao 'fim da linha', a melhor maneira de terminar é com sinceridade, tendo a consciência de que "nenhum término é livre de desconforto".

"Uma coisa que pode ajudar a pessoa a melhorar a partir daquele ponto é a honestidade sobre por que acabou. São inúmeras as pessoas que saem de um relacionamento e nunca conseguiram entender onde erraram", afirmam.

Renato e Cristiane Cardoso são escritores, articulistas, palestrantes internacionais e conselheiros familiares e matrimoniais; autores dos best-sellers “Casamento Blindado” e “Namoro Blindado”. O casal apresenta o programa The Love School – A Escola do Amor, semanalmente, na RecordTV.