Lifestyle Programa discute o desafio de combater a pedofilia no Brasil

Programa discute o desafio de combater a pedofilia no Brasil

Fala Que Eu Te Escuto desta quarta-feira citou o aumento de denúncias e questionou se a pedofilia é uma doença ou é uma perversão

  • Lifestyle | Ana Carolina Cury, Do R7

Entre os diversos problemas que surgiram durante o isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus está o aumento da vulnerabilidade de crianças e adolescentes. Especialistas afirmam que, expostos à internet, eles podem se tornar vítimas de pedófilos que atuam no mundo virtual.

As denúncias de pedofilia virtual — crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) — aumentaram 190% em 2020 em relação a 2019, segundo dados da Polícia Federal. 

Programa questionou espectadores se pedofilia é doença ou perversão

Programa questionou espectadores se pedofilia é doença ou perversão

Divulgação

Os pedófilos estão em todos os lugares. Psicólogos afirmam que eles são, normalmente, conhecidos da criança. Avós, padrastos, pais, primos, tios, vizinhos, qualquer um deles pode ser um pedófilo. E a maioria que comete crimes são homens.

Diante desse triste cenário, o programa Fala Que Eu Te Escuto desta quarta-feira perguntou aos espectadores se a pedofilia é uma doença ou se é uma perversão.

Opiniões

"No meu ponto de vista é uma doença. Não tem como dizer que o pedófilo é uma pessoa normal. Quem em sã consciência ia fazer algo desse tipo?", afirmou a advogada Selma Nascimento.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a pedofilia é caracterizada como uma doença (CID – 10, Cap. V, F. 65-4), um transtorno de sexualidade. A entidade declara que o crime ocorre quando o pedófilo exterioriza esse pensamento, por meio de assédio, abuso ou exploração sexual.

Para a autônoma Luciana Santos a pedofilia não pode ser considerada uma doença. "É um crime. Fui vítima de abuso aos 8 anos e sofri graves consequências por conta disso. Não podemos minimizar esse tipo de comportamento, dizendo que é 'apenas' uma doença. Só de sentir o desejo já é um crime, estamos falando de crianças".

Denúncias de pedofilia virtual aumentam no Brasil em meio à pandemia

Denúncias de pedofilia virtual aumentam no Brasil em meio à pandemia

Divulgação Polícia Federal

A assistente social Cristiane Barbosa declarou que apesar de alguns médicos afirmarem que é um distúrbio, ela considera que é uma perversidade. "Quem fica doente são os menores, vítimas dos pedófilos. Infelizmente, atendemos muitas ocorrências de crime de pedofilia".

Além dos canais Disque 100, 180 e sites, é possível denunciar o crime de pedofilia por meio do aplicativo chamado "Direitos Humanos Brasil", disponível para os sistemas IOS e Android.

"Antigamente não era assim, mas hoje há quem defenda que pedofilia é doença. Até defenderam dizendo ser 'cultura' crianças tocarem o corpo de um homem nu... Por isso, as pessoas precisam ficar atentas em relação a quem escolhem para governar o país, pois existem pessoas que levantam a bandeira de que a pedofilia não é algo tão grave assim", concluiu o apresentador, Bispo Adilson Silva.

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 0h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Últimas