Lifestyle Programa debate educação sexual nas escolas: essencial ou é papel dos pais?

Programa debate educação sexual nas escolas: essencial ou é papel dos pais?

Fala Que Eu Te Escuto desta quarta-feira questionou os espectadores se a educação sexual nas escolas é útil se não envolver ideologia ou se é responsabilidade dos pais 

  • Lifestyle | Ana Carolina Cury, Do R7

Falar de sexo com as crianças normalmente é um momento embaraçoso para as famílias. Perguntas como: "Como vocês me fizeram? Como nascem os bebês? O que é virgindade?" fazem parte da realidade de muitas crianças.

Na adolescência, mais desafios. Como conciliar o tema sexo nesta fase da vida? Um desafio para os pais ou para os educadores?

Especialistas afirmam que uma educação sexual que respeite o desenvolvimento físico, psicológico, afetivo, cognitivo e, sobretudo, sexual de uma criança oferece ferramentas e caminhos para diagnosticar possíveis abusos ou, através de denúncia, interrompê-los. 
Mas, há quem esteja fazendo isso de forma questionável. "Em 2017, por exemplo, uma professora tentou ensinar alunos a como usar uma camisinha de forma contestável, usando um órgão masculino de plástico e fazendo gestos obscenos", destacou uma reportagem exibida no programa Fala Que Eu Te Escuto desta quarta-feira.

Programa questionou qual a melhor forma de ensinar os jovens sobre o tema sexualidade

Programa questionou qual a melhor forma de ensinar os jovens sobre o tema sexualidade

Divulgação

Polêmica

A exibição abordou o tema, uma vez que falar sobre sexo em sala de aula é uma polêmica que mobiliza a sociedade. 

Afinal, educação sexual nas escolas é útil se não envolver ideologia; é responsabilidade dos pais ou a escola deve ser livre para isso?

Para o secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Maurício Cunha, é importante tratar sobre sexualidade nas escolas, mas não de qualquer forma. "Por isso, é importante que todos, família, comunidade e escola orientem sobre o tema de forma correta porque a sexualidade humana é muito complexa. Muitas vezes as escolas, que tem um papel muito importante. Nosso país tem um índice de gravidez na adolescência 50% maior que a média mundial, por isso, precisamos investir na melhor orientação para que esses jovens tomem decisões corretas".

A professora Lilian Tellini afirma ser contra do ensinamento sexual nas escolas. "Acredito que os professores devem ensinar, não educar. A família precisa ter consciência que a educação é papel exclusivo dos responsáveis dessa criança e adolescente. A educação sexual, infelizmente, acaba tendo um papel de sexualização infantil, por isso é preciso que os pais se conscientizem".

Educação sexual deve ter o papel de proteger crianças e adolescentes

Educação sexual deve ter o papel de proteger crianças e adolescentes

Reprodução: Instagram | OttoHahnSchuleHamburg

Já a educadora Dorcas Rodrigues pensa que a melhor forma de ensinar os jovens sobre o assunto é papel de ambos. "É um tema que merece muito estudo. Nesse sentido, o papel da família é fundamental. A família é a primeira 'instituição' que um indíviduo se desenvolve, então, o ideal é que a criança e o adolescente aprenda sobre sexualidade com seus responsáveis. Mas, a escola também não pode deixar de lutar para proteger um jovem, por isso é preciso um trabalho conjunto".

Para 81% dos espectadores do programa, a educação sexual é responsabilidade exclusiva dos pais. "Se a escola se limitar a questão física, biológica, ou seja, trouxer uma educação protetiva e que não interfira nas questões ideológicas pode somar e até auxiliar na proteção das crianças. Mas, infelizmente, os pais acabam não tendo a garantia de que o assunto seja limitado a isso", pontuou o apresentador Bispo Adilson Silva.

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 0h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Últimas