7 motivos para não levar seu cachorro em blocos de Carnaval

Música alta, multidão e objetos no chão são alguns problemas que o animal pode enfrentar durante a folia. Mas existe comemoração para os bichinhos!

7 motivos para não levar seu cachorro em blocos de Carnaval

Pet também pode se divertir, mas é preciso cautela

Pet também pode se divertir, mas é preciso cautela

Divulgação/Pátio Higienópolis

O Carnaval começou em todo o país e muitos foliões já preparam a fantasia para os blocos de rua. Mas quem tem animal de estimação muitas vezes fica na dúvida: levar ou não o bichinho para a folia?

Eu acho que não, mas vou explicar. Claro que é legal pensar naquelas mini fantasias, curtir o momento com ele ou simplesmente não querer deixá-lo triste e sozinho enquanto todo mundo se diverte. Mas antes de mais nada é preciso pensar no bem-estar do seu melhor amigo.

Parece um passeio divertido pela alegria da comemoração, mas não é bem isso. Já presenciei um animal em meio a multidão, bêbados mexendo nele sem que o tutor percebesse, vi outro de língua de fora e respiração ofegante passando calor.
Para Cleber Santos, especialista em comportamento animal, tutores cometem erros que poderiam ser evitados. “Falta um pouco de empatia nestas festas. O que ele julga divertido pode ser, no fundo, uma tortura para o bichinho", explica.

Calma! Se você quer se divertir com o cachorro e tirar foto, existem comemorações exclusivas para os pets. São ambientes quase sempre fechados e adaptados para receber os pequenos (ao final do post).

A seguir, listei 7 motivos para você não levar seu cachorro em bloco de rua:

Multidão
Os blocos ganharam ainda mais espaço e hoje arrastam multidões. Até aqueles grupos menores dentro dos bairros hoje lotam as ruas. O empurra-empurra é inevitável enquanto todos se deslocam acompanhando a música. No colo ou no chão, os animais correm o risco de serem prensados ou pisoteados. Principalmente rabo e patinhas.

Calor
O ideal é evitar a superexposição ao sol entre 10 e 16h. O asfalto pode causar queimadura nas patinhas. “Além disso, o calor e o esforço farão com que o animal sinta necessidade de beber muito mais água e em menor intervalo de tempo, evoluindo rapidamente para um quadro de desidratação”, diz a Dra. Cristiane Pizzutto, presidente da Comissão de Bem-Estar Animal do CRMV-SP. Os riscos de complicação são ainda maiores para os animais braquicefálicos, que têm uma respiração mais delicada. São aqueles com a anatomia do focinho curta, como bulldog, shih tzu, lhasa, pug e boxer.

Ingestão de lixo
O chão durante a passagem do bloco vira um acúmulo de lixo. Tem restos de comida, adereços, chiclete, embalagens, bebidas, bituca de cigarro, etc. O cão fica com livre acesso a tudo que encontra pela frente, é quase impossível controlar a curiosidade do faro e qualquer ingestão durante as horas de folia.

Objetos no chão
Um problema ainda mais grave são os perigos que o animal pode encontrar no chão: caco de vidro, cigarro aceso, garrafa amassada,  etc. Não queremos ninguém machucado!

Barulho
O som alto das caixas de som e o barulho das próprias pessoas causam um grande incômodo, explica a médica-veterinária Maria Cristina Reiter Timponi, presidente da Comissão das Entidades Veterinárias do CRMV-SP. Um cachorro é quatro vezes mais sensível do que um ser humano, lembra a profissional.

Fuga
Ninguém que perdeu um animal imaginou que fosse acontecer. Os tutores alegam que o bichinho “é obediente”, “está acostumado” ou “é calmo”. Mas ao menor sinal de medo ou susto, a primeira reação do cachorro é sair em disparada. E, convenhamos, que com barulho, multidão e gente passando a mão não faltam motivos para ele estranhar a situação. (Ah! Identificação na coleira, sempre) 

Medo e ansiedade
“Todos esses novos estímulos são muito estressantes e podem desenvolver sinais clínicos que o animal não tinha, como ansiedade. O tutor terá que direcionar para tratamento depois”, alerta a Dra. Cristiane Pizzutto, presidente da Comissão de Bem-Estar Animal do CRMV-SP.

Prefira acessórios simples

Prefira acessórios simples

Divulgação/Pátio Higienópolis

CARNAVAL PET

Os eventos criados para animais de estimação já começam a se espalhar pelo Brasil. Mas é preciso cautela na hora de montar a fantasia para o seu animal. Vale fazer a brincadeira, tirar a foto e desmontar a produção:

- Escolha uma opção fresquinha, o pet não pode passar calor
- Ele consegue andar? Veja se a roupa não dificulta a locomoção
- Retire botões e peças que possam ser engolidas
- Nada de tingir o animal com tinta! Pode causar irritação, alergia e intoxicação
- Prefira acessórios simples: gravata, laço, chapéu...

PROGRAMAÇÃO

 * São Paulo/SP

Desfile de fantasia: apresentação de 50 cães e seus donos e a dupla será premiada por Criatividade, Simpatia e Originalidade. Somente participam cães pré-inscritos no serviço de concierge.
Domingo (23)
Shopping Higienópolis
Às 17h, vão Central
Avenida Higienópolis, 618


* Nova Iguaçu/RJ

Bloco pet: festa dedicada aos bichinhos de estimação, com direito a concurso de fantasia com prêmios e um baile especial
Segunda (24)
Shopping Nova Iguaçu
14h, piso Conveniência
Av. Abílio Augusto Távora, 1111


* Londrina/PR

Cãofolia: recreação com os pets, conduzida por um instrutor do Centro Londrinense de Arte Circense (CLAC), e um desfile dos animais fantasiados com mesa de petiscos.
Sábado (29)
Catuaí Shopping
entre 17h e 19h
Rod. Celso Garcia Cid, 5600