Vá a Paraty e coma ao ar livre

Destino popular entre paulistas, mineiros e cariocas, Paraty tem ótimas opções de lugares para comer ao ar livre. Este blog lista alguns deles, para todos os bolsos e gostos. Fuja das aglomerações e do risco da pandemia.

  • É de comer | Do R7

Mexilhões do Quiosque São Francisco

Mexilhões do Quiosque São Francisco

@ehdecomer

Um lugar entre Rio e São Paulo, com praias paradisíacas, centrinho histórico e gastronomia como patrimônio cultural. Paraty é tudo isso e um bom refúgio em tempos pandêmicos. Dá pra se divertir e aproveitar os pratos locais sem se arriscar (muito). Frequento a cidade todos os anos, há mais de 20 anos e conheço bem cada canto e posso dizer que a cidade oferece opções de gastronomia ao ar livre para todos os bolsos e gostos. Passei lá minhas últimas férias, em pleno pico da pandemia e selecionei aqui algumas dicas para o querido leitor paulista, fluminense ou mineiro -  já que a cidade atende turistas vindos dos três estados.

Ostras do Gastromar

Ostras do Gastromar

@ehdecomer


Antes de tudo, ressalto que não é um destino barato. A cidade recebe muitos viajantes estrangeiros e endinheirados. As marinas são porto seguro para imensos iates e lanchas milionárias que circulam de Ilha Bela – SP até Angra dos Reis -  RJ.
Por outro lado, a clientela exigente faz com que hoje, todos os estabelecimentos, até mesmo muitos das 65 ilhas que o município abrange, aceitem cartão -  ao contrário do que acontecia até 5/7 anos atrás. O principal supermercado da cidade -  O Super Carlão -  tem um portifólio variado, de fazer inveja a muitos mercados chiques de São Paulo. Então, se você escolher ficar em casa e cozinhar loucamente, achar os melhores ingredientes não será um problema. Mas vale, sim, visitar alguns lugares que oferecem ar livre e segurança, para alegrar os olhinhos (e o estômago). Preferi, nessa minha última viagem, ficar longe do centro histórico e explico: muita gente sem máscara nas ruas cheias e nas praças. Não me senti à vontade. Por isso, as dicas a seguir se limitam a lugares que fogem às aglomerações, ao ar livre e perto do mar. A cidade tem sim outras ótimas opções gastronômicas, mas isso fica pra uma próxima coluna.

AO AR LIVRE

Ceviche do Quiosque São Francisco

Ceviche do Quiosque São Francisco

@ehdecomer


$$$$
Quiosque São Francisco (ou Quiosque da Catarina)

Localizado na Praia Grande, a alguns poucos quilômetros da entrada de Paraty, esse cantinho tradicional é um verdadeiro refúgio da Covid-19.  Se você quer comer muito bem e com pé na areia, debaixo de grandes árvores ou chapéus de sol, o Quiosque traz tudo isso num combo só. A Catarina, dona do restaurante, está sempre de olho na clientela. O atendimento é impecável – garçons sempre de máscara, com todo protocolo e muito atenciosos. No menu, destaque para as pranchas de peixe e frutos do mar -  ótimos para serem pedidos durante o dia. Para os dias mais frios, as moquecas se destacam (R$98 a de peixe). Eu amo as entradas. Poderia ficar só nelas, acompanhadas de um vinho rosé gelado, de uma cerveja de garrafa ou do tradicional drink paratiano, o Jorge Amado (cachaça Gabriela, canela, maracujá e limão). Sempre peço o ceviche de robalo (R$48), que vem com uma cestinha de pães para xuxar no azeite. A casa também oferece ostras (R$60 meia dúzia) e mexilhões frescos de quinta a domingo – eles vêm direto de Ilha Grande. Um deleite. Não vá pensando que o preço é semelhante ao dos quiosques de praia que você pode frequentar na cidade. A qualidade e atendimento são superiores, o preço, portanto também é. Mas vale cada centavo.

Parrilla do La Luna

Parrilla do La Luna

Divulgação

$$$
La Luna

Localizado na praia do Jabaquara, que fica na cidade de Paraty, o quiosque La Luna também tem área pé na areia, música ao vivo aos finais de semana e abre, principalmente no jantar. É um dos últimos quiosques da praia. O dono é um argentino animado que comanda a parrilla. O destaque são as carnes grelhadas (ou frutos do mar e peixes), com porções de acompanhamentos generosas. Se você enjoou da comida caiçara, tá aí uma boa oportunidade de conhecer outra coisa em Paraty, sem ter que ficar em um ambiente fechado. Uma coisa interessante do La Luna é que o restaurante sempre tenta trazer rótulos bacanas de vinhos argentinos e muitas vezes faz promoções que incluem um quitute e uma taça (Pastel de costela + taça de malbec -  R$29). O prato de steak para duas pessoas, com acompanhamentos e uma garrafa de vinho saía R$199 em maio. Casais procuram bastante esse lugar para jantares a luz de velas.

Capeletti in brodo do Gastromar

Capeletti in brodo do Gastromar

@ehdecomer

$$$$$
Gastromar

Na Marina Porto Imperial de Paraty, fica o restaurante da chef Gisela Schmitt – que tem passagens por diversas casas renomadas em São Paulo e cursos no exterior. Gisela é uma especialista em catering e mantém um projeto lindo (mas poucos podem pagar -  varia de R$800 a R$1.400 por pessoa) em Paraty. Trata-se do barco “Sem Pressa”. Uma trainera que te leva em um banquete em alto mar. Se você, como eu, não tem a verba necessária para a orgia gastronômica em meio a golfinhos saltitantes, vá ao restaurante dela na marina. Em um largo deck, de frente para os Iates, mesinhas são dispostas com um bom distanciamento em meio a uma decoração primorosa. Da cozinha saem massas, risotos, peixes e frutos do mar preparados com excelência. Uma porção de ostras de Ilha Grande, chega a custar R$79 reais, a meia dúzia. Aliás, é essa a média de valores das entradas individuais: 80 reais. Os pratos saem na faixa dos 130 reais. Pedi um capeletti recheado com atum defumado e brodo de pato. Incrível.  Incrível mesmo. A massa bicolor era feita lá, manualmente, com toques de cacau. Me emocionou. Tem rótulos de espumantes nacionais a partir dos R$130 e muitas opções de drinks com Gim. Alguns frequentadores cheios da grana acham que a pandemia acabou e insistem em circular sem máscara, apesar do apelo do staff da chef. Uma pena, mas isso se resolve se você reservar uma mesa na área mais externa e mais afastada do deck.

Beer with a view

Beer with a view

@ehdecomer

$
Toca do Pastel

Barato e com uma vista incrível. Esse canto fica na estrada, no sentido do Rio de Janeiro, logo depois da Praia Grande. O nome é simplão, as instalações também, mas tem cerveja bem gelada, porções e pastéis variados para você lanchar num pôr do sol espetacular de frente para o mar (do alto do morro). Quem disse que não dá pra ser feliz ao ar livre, em Paraty, gastando pouco? Lá, dá.

PF de praia do Casa Nossa

PF de praia do Casa Nossa

@ehdecomer

$$
Casa Nossa

A barraca de praia com espreguiçadeiras de madeira fica na praia do Jabaquara e tem porções generosas. A tradicional Isca de peixe (R$65) e a mandioca (R$35) servem três pessoas tranquilamente. Cerveja sempre gelada, opções de PF na casa dos 35 reais, bem feitinhos e drinks fazem desse um dos quiosques mais procurados da cidade. Tudo ao ar livre, com distanciamento entre as mesas e garçons com máscara. Aproveite o sol e passe o dia nessa barraca.

Quer saber mais? Acessa meu insta, o @ehdecomer. Eu sempre posto fotinhos dos cantos que eu visito em Paraty, toda vez que vou.

Últimas