É de comer Por que você (não) precisa de um copo Stanley?

Por que você (não) precisa de um copo Stanley?

Copo térmico da moda custa de 150 a 250 reais a unidade e promete manter a bebida (cerveja) gelada por horas. 

  • É de comer | Do R7

Copo Stanley surgiu há um século, mas só hoje virou símbolo de glamour

Copo Stanley surgiu há um século, mas só hoje virou símbolo de glamour

Divulgação

A vida toda, sempre que eu ouvia o nome Stanley só me vinha à cabeça uma coisa: Kubrick. O cineasta americano, que dirigiu, entre outros, 2001: Uma Odisseia no Espaço, Laranja Mecânica e O Iluminado, é um dos meus preferidos. Mas nos últimos meses só se fala em um Stanley: o copo de metal carésimo que deixa a bebida gelada durante quatro horas ou quente durante 45 minutos. Graças ao isolamento duplo a vácuo, a marca criada em 1913 (sim, tem mais de cem anos!!!) garante a manutenção térmica dos líquidos que você deseja beber. Nada que uma garrafa térmica já não faça, correto? 
Ah, mas a garrafa térmica da vovó não tem o tal “estilo aventureiro sem abrir mão da descontração”, conforme o site da Stanley prega. “Saboreie sua cerveja gelada até o último gole”, diz a propaganda.

Agora uma pergunta séria: quem leva quatro horas para tomar 400 ml de cerveja? Se você leva esse tempo, parabéns pelo autocontrole (ou não, porque a cerveja fica sem gás, com ou sem copo Stanley). Para você, esse copo realmente pode ser últi. Se você é um ser humano normal como eu, em meia hora já matou aquela long neck gelada na praia ou no bar e nem deu tempo de vê-la esquentar. O copo Stanley é tão útil como ter o carro do ano, os tênis mais caros da loja, um relógio que vale um apartamento. É status.
Muita gente já entendeu isso. E a internet é a mãe da tiração quando o assunto é ostentação. Os memes com o Stanley vieram a cavalo...

Meme com o copo Stanley

Meme com o copo Stanley

Reprodução/Twitter
Meme com o copo Stanley

Meme com o copo Stanley

Reprodução/Twitter
Meme com o copo Stanley

Meme com o copo Stanley

Reprodução/Twitter


Mas isso não é um ruim para a marca. Pelo contrário. Os memes movimentam a divulgação dos produtos, geram interesse por algo que até um século atrás nunca se fez necessário. Incrível como a moda e os virais caminham juntos.

Digite Stanley no Google e veja o que encontra:

Digite Stanley no Google

Digite Stanley no Google

Google

As buscas no Google Trends também mostram um pico a partir do fim de 2021 (num período de  12 meses, de fevereiro de 2021 a fevereiro de 2022). No Brasil, os estados que mais buscaram o termo foram Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais e Paraná. Curiosamente três deles não têm praia, aspecto associado à caneca térmica. Mas talvez o clima bem quente no verão e o apreço do pessoal do campo por uma cerveja bem gelada justifiquem o interesse.


Algumas das perguntas acima já respondi aqui. Outras a própria marca informa em seu site. Os recipientes são fabricados na China, mas a sede da empresa é em Seattle, nos EUA. Na esteira do sucesso da americana, a Philco lançou nesta semana um concorrente que promete manter a cerveja gelada por cinco horas! Uma a mais que o tal Stanley, vejam só. Mais tempo para a cerveja ficar ainda mais choca!

Philco lança concorrente

Philco lança concorrente

Divulgação

O Philco Force Thermo é ainda mais caro – com preço inicial de 199 reais. A marca diz que segue uma tendência de sustentabilidade para pautar o lançamento. Achei uma boa desculpa, quem sabe num futuro próximo as pessoas comprem mesmo esses copos por esse motivo. Mas o vídeo promocional abaixo mostra que a pauta do dia é mesmo o glamour:


Nada contra... Cada um com seus motivos. Eu também usaria um Stanley ou um Philco na praia se ganhasse um de presente — mesmo porque pra mim a pegada sustentável importa. Daí a desembolsar 200 reais são outros quinhentos. Precisaria ser convencida da real necessidade do vasilhame.

Me segue lá no meu insta, o @ehdecomer, para mais conteúdo sobre gastronomia, alimentação sustentável e tendências.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas