O quê e como você vai comer e beber em 2021?

Em 2020, a gastronomia se reinventou e produtores se aproximaram dos consumidores finais. As pessoas também começaram a entender melhor os hábitos alimentares e como os produtos chegam às nossas mesas.

  • É de comer | Do R7

Aprendizados de 2020: montar um bar e fazer seus próprios drinks

Aprendizados de 2020: montar um bar e fazer seus próprios drinks

@ehdecomer

O ano novo começou. Você já fez promessa no último dia de 2020 que vai emagrecer, tentar uma vida mais regrada, se alimentar melhor, beber menos.... ou não.

Verdade é que viradas de ano com seus rituais de passagem, mesmo que em tempos pandêmicos, servem para criarmos novos hábitos. É um gatilho para uma tentativa de nova rotina. Mas porque a gente desiste e volta aos antigos maus hábitos?
Tenho lido sobre isso. Mesmo porque considero que mina dieta calórica está acima do que meu gasto calórico nos dias de hoje. Confesso também que como e bebo bem, o que faz com que seja mais difícil abandonar os momentos de prazer que a boa gastronomia e coquetelaria me proporcionam. 

No livro, O PODER DO HÁBITO, de Charles Duhig, encontrei algumas explicações para coisas que faço quase que automaticamente e que poderia, sim, mudar. Também encontrei ideias para tentar melhorar meu estilo de vida. Por exemplo, condicionar a cervejinha de fim de dia a uma série de exercícios feita imediatamente antes. É uma coisa que comecei a fazer antes da virada do ano. A cerveja é a recompensa do gasto calórico que eu tenho minutos antes, ao fazer sessões de agachamento, abdominal, flexões e afins. Pode não ser a solução ideal, mas foi a solução que eu encontrei. Se antes eu chegava em casa, cansada da rotina da redação de jornalismo e logo abria uma long neck ou vinho enquanto cozinhava o jantar, hoje, tento reservar uma meia hora para realizar algumas repetições que liberam endorfina no meu corpo. Tem funcionado. Adio o início do consumo de bebida, me exercito e me sinto menos culpada depois com o jantar.

Aprendizado de 2020: receber e 
abrir ostras em casa

Aprendizado de 2020: receber e abrir ostras em casa

@ehdecomer


Mas não é só isso que vai ficar de 2020 na minha rotina alimentar. Esse ano me elevou a um novo nível de experiência com comida via delivery, me apresentou o contato direto com produtores que começaram a fazer entregas na minha casa e conheci muitos alimentos/bebidas novos. Isso porque muita gente se reinventou. Foi legal nesse sentido.

2020 trouxe pra minha vida novas queijarias, como a Rima, que trabalha com queijos de ovelha e o Capril do Bosque, com laticínios de cabras.  Ambos entregam em SP.

2020: o ano da charcutaria artesanal delivery

2020: o ano da charcutaria artesanal delivery

@ehdecomer

Trouxe também grande charcuteiros, como o pessoal da A Table Charcutaria, com patês de foie e embutidos maravilhosos, que alegravam meus finais de semana. Minha rotina não seria completa sem a Montoza Pescados, que me forneceu os peixes e ostras que comi nessa virada do ano e em tantas outras ocasiões especiais. Na área das bebidas, a cervejaria Dádiva foi uma que começou a fazer parte da minha rotina. Montei um bar de respeito em casa, com gins, rum, uísques, vermutes, marraschino, lillet e bitters e todos os utensílios necessários. Com a ajuda virtual de blogueiros como o Boteco do JB, me aventurei no mundo da coquetaria e aprendi a fazer drinks que não costumava fazer antes como Martinez, Old Fashined, Dirty Martini, Vesper, entre outros. Descobri o incrível mundo do Jerez, ao conhecer o bar Huevos de Oro e passar a entender um pouco mais sobre essa bebida com as somelieres Daniela Bravin e Cassia Campos. Isso sem contar a descoberta de restaurantes, alguns eu nunca fui presencialmente e virei freguesa de carteirinha, como o Hira Ramen Izakaya e o Kubo Zushi, por exemplo. Restaurantes que se reinventaram no delivery e conseguem manter a excelência, trazendo pra nós um pouco de alegria e normalidade em dias tão difíceis.

2020: a descoberta do Jerez

2020: a descoberta do Jerez

@ehdecomer

O que eu vou comer e beber em 2021? Com certeza vou comer e beber melhor, sem necessariamente gastar mais por isso. Vou manter os bons hábitos, como fazer exercícios, buscar o produto na origem, a venda direta e privilegiar os restaurantes que mantém boas práticas sanitárias. Afinal, a pandemia não vai acabar de uma hora pra outra. Cientistas preveem que continuaremos a usar máscaras nos próximos dois anos e a vacina... bem, a vacina no Brasil está mais longe do que imaginávamos de pessoas que não fazem parte dos grupos prioritários, como eu. Vai ser um longo caminho a percorrer, que tenhamos força, responsabilidade e alegria para os próximos passos. Feliz 2021. E pra não perder o costume, me segue lá, no @ehdecomer.

Últimas