Narcisismo explica 'quebra de decoro' no confinamento 

Desligados da realidade externa, participantes de reality shows perdem a noção dos limites sociais e fazem de tudo para aparecer 

Confinamento leva à redução de filtros sociais

Confinamento leva à redução de filtros sociais

Reprodução

Estar confinado em um reality show mexe com a cabeça das pessoas mais do que a gente imagina. Segundo Liliana Seger, psicóloga do Programa de Transtornos do Impulso do IPq, o Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo, ainda que não se possa generalizar os comportamentos, quem se dispõe a participar desse tipo de atração tem um perfil de personalidade narcisista. 

"São pessoas que já querem ser vistas, estar na televisão, aparecer. Quando estão fechadas há um bom tempo, esquecem do mundo fora e a rotina no confinamento passa a ser a vida delas naquele momento", explica Liliana.

O resultado é que, quanto mais o tempo passa, o desejo de exposição vai se agravando. O fator competição deixa esses sentimentos ainda mais pulsantes e aquilo que seria grave se torna banal.  

"É como na guerra, a reação diante de realidades sangrentas gera reações frias, algo que não ocorreria fora daquela situação extrema", compara a psicóloga.

As redes sociais, como Facebook e Instagram, certamente colaboram para esse narcisismo todo. Essa obrigação de se mostrar feliz, com a barriga sarada, ser bem resolvido, gera uma pressão por todos os lados. "O índice de problemas de saúde mental aumentou muito. Há uma necessidade de mostrar que pode tudo, não tem limite para nada", analisa Liliana.

Pode parecer estranho falar em limite em um tipo de programa que é feito para expôr a intimidade de quem está lá, fechado. Mas é inevitável perceber que, dos primeiros edredons movimentados à pegação na piscina, as barreiras do que é público e do que é privado estão cada vez mais invisíveis. 

Em um reality, os confinados saciam essa compulsão por estar sendo vistos, cobiçados, desejados. E adotam uma vida sem filtro do Instagram. Vira um grande tudo pode.