Chute no rosto de mulher dançando: violência sem limites!

A agressão registrada em vídeo durante um show em Pojuca, na Bahia, é reveladora do ponto absurdo a que chega a ousadia masculina

Ao fundo, o homem de camiseta vermelha cuta o rosto da moça que estava no palco

Ao fundo, o homem de camiseta vermelha cuta o rosto da moça que estava no palco

Reprodução/vídeo

Chocante é o mínimo que se pode falar sobre as imagens registradas durante o show do cantor conhecido como Poeta, realizado no domingo (27), em Pojuca, região metropolitana de Salvador, na Bahia. Uma mulher está dançando no palco e, do nada, aparece um homem e dá uma voadora em seu rosto. O chute, além de inesperado, é de uma violência assustadora. O show estava sendo filmado por várias pessoas e o momento da agressão foi parar nas redes sociais.

Homem chuta rosto de mulher enquanto dançava em palco na BA

Ainda não se tem notícia de quem são os envolvidos, se o rapaz conhecia a moça, as motivações do crime, nada. É possível ver na sequência das imagens que ele foi contido por outros homens. Mas, independentemente de quem seja o cara, se era ou não conhecido da vítima, o que fica é um misto de indignação e repulsa. 

A ousadia do fulano, como a de tantos agressores de mulheres, não tem limites. Nem a presença de várias pessoas é capaz de intimidar o criminoso. O cara dá um chute na cara da mulher na frente de todo mundo como se estivesse respaldado pela impunidade. Pior: age como se tivesse esse direito. 

O que leva homens a se tornarem autores de feminicídio 

O cantor Poeta se posicinou em suas redes sociais e escreveu uma nota de repúdio. "Se você é machista, covarde, preconceituoso e não aceita ver uma mulher dançando em um palco, não me siga no Instagram ou nenhuma rede social, não seja frequentador dos shows do Poeta! Melhor ainda, nem saia de casa, a sociedade e as mulheres não merecem conviver com pessoas assim, você não merece ser um fã do Poeta."

Isso, de fato, seria o ideal. Tirar de uma vez por todas esse tipo de homem do convívio social. Cadeia neles! A sociedade não aguenta mais tanta violência contra as mulheres, tanta agressão, tanta matança.

Nada justifica todo esse ódio.