Efeito Dunning-Kruger: incompetentes se acham acima da média

Enquanto os incompetentes quase sempre acham que têm conhecimento suficiente, os especialistas tendem a não reconhecer todas as suas aptidões

Decisões equivocadas são tomadas sem reconhecimento de erros

Decisões equivocadas são tomadas sem reconhecimento de erros

Pixabay

O efeito Dunning-Kruger afirma que pessoas com menos conhecimento sobre um assunto tendem a acreditar que sabem mais do que outros, ainda que se tratem de pessoas mais bem preparadas. Em decorrência disso, tomam decisões equivocadas sem perceber que a própria incompetência impede o reconhecimento de seus erros. Isso vale para todo mundo, incluindo eu e você.

Lembro-me de que, aos 22 anos, eu não tinha noção de que dirigia melhor do que a maioria das pessoas. Ao contrário, tomava todo cuidado para não me envolver em nenhum acidente, afinal, meu carro não tinha seguro e eu mal tinha dinheiro para a gasolina... Mas, ao ser encarregada de dar carona para um ex-piloto recém- chegado da Inglaterra, fui convidada a fazer parte de uma nova equipe de corrida. Achei até que fosse brincadeira, pois não via em mim habilidade suficiente para isso.

Na mesma época, eu achava que minha chefe era uma fraude! Vivia me perguntando: “Como pode essa criatura ter um cargo desse sendo insegura desse jeito? Ela nunca tem uma resposta, sempre tem que buscar em algum lugar...” Eu pensava que me sairia muito melhor nas reuniões e apresentações, e achava um exagero vê-la se preparando semanas antes de algum evento. Porém, a verdade é que ela dominava o que fazia, mas tinha uma tendência a achar que precisava saber mais, enquanto eu era a ignorante que achava que sabia tudo.

Essa é uma das ocasiões em que me vi dos dois lados do efeito Dunning-Kruger: o da competente que subestima suas aptidões e o da incompetente que se acha o máximo. Mas, o que me chama a atenção é que, em ambos os casos, eu não tinha uma boa leitura sobre mim mesma.

De qualquer forma, creio que o pior que pode acontecer é pensarmos que temos o que David Dunning – um dos psicólogos que dá nome a esse fenômeno – chama de “superioridade ilusória”. É ela que nos faz, por exemplo, discutir acaloradamente achando que tudo o que dizemos está coberto de razão, enquanto a opinião do outro não passa de uma grande asneira.

É por isso que, hoje em dia, praticamente não se ouvem mais frases como “vou pesquisar mais sobre isso antes de dar minha opinião”, ou “obrigada por me mostrar outro ponto de vista, vou pensar a respeito.” O que se vê, na maior parte das vezes, é um festival de ofensas – muitas vezes gratuitas – quando os pensamentos divergem e as ideias vêm de campos opostos. É preciso lembrarmos sempre do efeito Dunning-Kruger e analisarmos de que lado estamos. Dessa forma, livraremos a nós mesmos do constrangimento de estarmos expondo a nossa ignorância enquanto a confundimos com genialidade.

Autora

Patricia Lages é autora de 5 best-sellers sobre finanças pessoais e empreendedorismo e do blog Bolsa Blindada. É palestrante internacional e comentarista do JR Dinheiro, no Jornal da Record.