Análise: Seus olhos estão enganando a sua mente

Você sabe que programas como o Photoshop são usados para manipular imagens. Então, por que você continua acreditando em tudo o que vê?

Cérebro pode processar informações de forma rápida ou lenta

Cérebro pode processar informações de forma rápida ou lenta

Pixabay

Você sabe que programas como o Photoshop são usados para manipular imagens criando uma falsa realidade. Então, por que você continua acreditando em tudo o que vê?

A resposta é que o seu cérebro tem lhe enganado – e vai continuar enganando. Até aí, tudo bem, pois isso acontece com todo mundo. Segundo Daniel Kahneman, ganhador do Prêmio Nobel de Economia por seu trabalho baseado no comportamento humano, nosso cérebro pode processar informações de forma rápida ou lenta e, para cada uma das velocidades, usa um caminho diferente.

Quando a nossa mente processa depressa, usamos o pensamento intuitivo, que se baseia nas lembranças de nossa experiência de vida e nas emoções. E só quando processamos os pensamentos de forma lenta é que somos capazes de fazer uma análise mais precisa, baseada na razão, ou seja, não no que achamos (com base na nossa memória) ou no que sentimos (com base nas nossas emoções).

Quer fazer um teste? Imagine que você pode comprar uma joia e um vestido por R$ 1.200 e que a joia custa R$ 1.000 a mais que o vestido. Qual é o preço do vestido? Você chegou facilmente à conclusão de que o vestido custa duzentos reais, claro! Mas mesmo parecendo uma resposta óbvia, se você respondeu R$ 200, errou.

O seu cérebro processou a informação rápida e intuitivamente e enganou você direitinho. Agora, pensando lentamente e de forma analítica, refaça a conta. Se o vestido custasse R$ 200 e a joia fosse R$ 1.000 a mais, a joia custaria R$ 1.200 e o total dos dois seria R$ 1.400. Então, a resposta certa é que o vestido custa R$ 100, a joia R$ 1.100 e o total dos dois é R$ 1.200.

Mas além de enganar na matemática fazendo você ter “certeza” de que está certo, quando na verdade, está errado, o seu cérebro também lhe engana com respeito às imagens que você vê. Recebo centenas de mensagens no meu canal do YouTube dizendo que minha pele é perfeita e que eu deveria dar dicas do que faço. E a minha resposta é: estou maquiada por um profissional, a luz para o vídeo foi montada por um profissional e na hora da edição – também feita por um profissional – é colocado um filtro que suaviza a imagem. Apesar de ter uma rotina de cuidados, essa “perfeição” não tem quase nada a ver com isso...

Todos nós sabemos que há programas de computador, como o Photoshop, que, nas mãos de bons profissionais, eliminam defeitos e criam uma nova “realidade” na qual o nosso cérebro acredita assim que nossos olhos enviam a imagem. E isso faz com que muita gente viva infeliz consigo mesmo, acreditando que é possível ser perfeito quando ela mesma está longe de ser.

Portanto, se você ainda tem dúvida de como a manipulação de imagens, palavras e expressões pode causar efeitos negativos em você, assista a este vídeo que publiquei mais de dois anos atrás, mas que está mais atual do que nunca: 

Patricia Lages

É jornalista internacional, tendo atuado na Argentina, Inglaterra e Israel. É autora de cinco best-sellers de finanças e empreendedorismo e do blog Bolsa Blindada. Ministra cursos e palestras, tendo se apresentado no evento “Success, the only choice” na Universidade Harvard (2014). Na TV, apresenta os quadros "Economia doméstica" no programa "Mulheres" TV Gazeta e "Economia a Dois" na Escola do Amor, Record TV. No YouTube mantém o canal "Patrícia Lages - Dicas de Economia", com vídeos todas as segundas e quartas.