Patricia Lages Análise: Notícias que você não verá a menos que procure

Análise: Notícias que você não verá a menos que procure

Imposição de narrativas não tem compromisso com a verdade, mas ao exagerar na dose, tem surtido efeito contrário

PIB brasileiro vira alvo de agência de checagem

PIB brasileiro vira alvo de agência de checagem

Pixabay

O trabalho árduo da grande mídia em impor um único pensamento em benefício de agendas progressistas tem sido tão exagerado que cada vez mais pessoas têm questionado os motivos de tamanho esforço.

Inicialmente a proposta de polarizar todo e qualquer assunto deu certo e formou-se uma guerra de narrativas onde só havia duas opções para tudo: preto ou branco, esquerda ou direita, frio ou quente. Qualquer questionamento sobre o que a mídia apresentava como verdade absoluta ou sobre os métodos utilizados pelos autointitulados “checadores de notícias” já era digno de “cancelamento”. A ponderação e o equilíbrio foram quase extintos. Quase.

Assim como a polarização apostou em extremos, suas atitudes foram tão extremistas que começaram a surtir o efeito contrário, ou seja, passaram a levantar suspeitas sobre suas reais intenções. E como não há nada feito em oculto que o tempo não possa trazer à luz, o castelo de cartas das narrativas começa a ruir, ainda que grande parte da mídia tente mantê-lo de pé ao tentar suprimir a verdade por meio de um silêncio ensurdecedor.

Para exemplificar, vamos destacar um fato de extrema importância para a nossa economia, mas que a grande imprensa não tem divulgado com o mesmo alarde com o qual promoveu várias fake news. Aliás, talvez você nem sequer tenha visto esse dado, mas a boa notícia é que isso pode fazê-lo entender que é preciso pensar com a sua própria cabeça, buscando o que não está sendo dito e questionando o que tem sido diuturnamente despejado sobre você.

O site de checagem Aos Fatos, em 6 de fevereiro, declarou como FALSO – assim mesmo, em maiúsculas – o número projetado pelo presidente Jair Bolsonaro de que o PIB brasileiro de 2021 seria superior a 4%. Mas o que é falso para os “checadores da verdade” não passa de narrativa para desmerecer um governo do qual discordam e abertamente torcem contra. É a turma que faz um buraco no casco do barco para ver quem odeia afundar sem se dar conta de que também está a bordo. Não tem como ser mais estúpido.

Mas eis que o que era FALSO vem à tona para mostrar que falso mesmo é o compromisso dos checadores com a verdade.

“Goldman Sachs revisa crescimento do PIB de 4,6% para 5,5% em 2021 no Brasil” – Valor Investe
“Itaú eleva projeção para crescimento do PIB a 5% em 2021 e corta estimativa de desemprego” – Época negócios
“XP Investimentos eleva projeção do PIB do Brasil para 5,2% em 2021 – Revista Oeste
“PIB do 1º trimestre faz mercado prever crescimento de até 5,5% em 2021” – Exame
“BofA [Bank of America] eleva projeção de alta do PIB do Brasil de 3,4% para 5,2% em 2021” – CNN Brasil

No primeiro trimestre deste ano o PIB brasileiro foi de 1,2%, um dos melhores do mundo, a frente da China (0,6%) e dos Estados Unidos (-4,1%), mas, ainda assim, não recebeu o devido destaque. Aliás, grande parte das notícias que seriam motivo de alegria em qualquer país do mundo não são divulgadas pela imprensa brasileira sem ressalvas como: “é preciso ter cautela”, “não vamos comemorar” ou como vimos há poucos dias em relação ao aumento dos empregos com carteira assinada: “infelizmente vamos falar de notícia boa”.

Se você quer um caminho que possa levar à verdade dos fatos e não pretende se deixar levar por narrativas que não medem esforços para impor seu pensamento único, comece checando os checadores. Você vai se surpreender ao perceber o quão frágil são seus argumentos e o quanto acreditam que somos estúpidos. Os brasileiros estão acordando e isso não é fake news.

Últimas

    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages