Patricia Lages Análise: 'Não posso viver na dependência do meu marido'

Análise: 'Não posso viver na dependência do meu marido'

Muitas mulheres vivem inseguras quando se veem desempregadas ou ganhando menos que o marido, mas a raiz do problema não está nas finanças.

Marido e mulher

Marido e mulher

Thinkstock

Até mesmo entre marido e mulher não são poucos os casais que não têm ideia de quanto o outro ganha. E a pergunta é: pode uma união dessa natureza sobreviver a esse grau de falta de confiança? As pesquisas apontam que não. A segunda maior causa de divórcio no mundo são os problemas financeiros, quer seja a falta ou o excesso de dinheiro ou outras questões relacionadas a ele.

A onda do empoderamento feminino tem levado as mulheres a pensar individualmente e não mais em família e os homens agradecem que elas se virem em tudo sozinhas. O conceito “meu dinheiro, seu dinheiro” tem dividido os casais e feito cada um viver segundo suas próprias condições financeiras, sem considerar objetivos em comum. Os próprios pais têm aconselhado os filhos a priorizarem carreira, dinheiro e construção de patrimônio individual, pois se o relacionamento não der certo, eles estarão com o “futuro garantido”.

Quando somamos os mitos a esse tipo de conselho – que obviamente é dado com a melhor das intenções – o resultado são pessoas que não se importam em conhecer a fundo com quem se relacionarão e não veem o menor problema em colocar o carro na frente dos bois: mal se conhecem hoje, mas já se casam amanhã. E, se não funcionar, é só optar pelo plano B e partir para outra. Porém, nenhum fim de relacionamento está livre de dores e sofrimentos e viver pulando de frustração em frustração não parece ser o “futuro garantido” de que tanto se fala. Se os casamentos fossem construídos em bases sólidas e não em sentimentos efêmeros, não haveria espaço para frases tristes como a que dá título a este texto. Emoção acima da razão é uma equação que sempre dá um resultado negativo.

Últimas

    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages