Patricia Lages Análise: Falta de oportunidade é realidade ou desculpa?

Análise: Falta de oportunidade é realidade ou desculpa?

Apontada como causa da desigualdade no Brasil, a falta de oportunidade é de fato o que impede as pessoas de crescer?

Celular com internet é uma janela para o mundo na palma da mão

Celular com internet é uma janela para o mundo na palma da mão

Andrés Rodríguez/Pixabay

Antes de dar início a esta análise é preciso lembrar de que estamos vivendo em plena era da acessibilidade, onde quem tem um celular e uma senha de wifi tem nas mãos uma janela para o mundo. E foi apenas com essas ferramentas que várias pessoas criaram oportunidades de dar uma guinada de 180 graus. Não foi preciso estar em uma grande capital, ter dinheiro nem mesmo muito conhecimento para que uma série de pessoas mudasse de vida com nada mais que um celular e a vontade de sair do lugar comum.

Segundo o IBGE, quase metade dos lares brasileiros são bancados por mulheres e, dentre elas, 46% sustentam os filhos ou netos sem a presença de um cônjuge. Esse é o caso de Edivaní Brito, moradora de Planaltina, Goiás, que há cerca de um ano iniciou um canal no YouTube com um vídeo de 19 segundos intitulado “Tomando leite no copinho”, onde sua bebê recém-nascida é alimentada por uma enfermeira na UTI de um hospital.

Atualmente, o canal “Casinha da Edy” possui mais de 78 mil inscritos e apresenta 80 vídeos, a maioria produzido no pequeno cômodo que ela mesma construiu e onde mora com a filha. Edivaní ensina receitas econômicas, reciclagem, faz vlogs sobre coisas do dia a dia – como preparar o café da manhã em uma mesa que achou no lixo – e até pequenas reformas que ela mesma faz, incluindo a construção de sua lavanderia com direito colocação de azulejos e um piso cimentado com ferramentas improvisadas.

Edy tinha tudo para ser apenas mais uma mulher do interior do país, reclamando da pobreza, da falta de estrutura e de oportunidades para mudar de vida. Em vez disso, ela vive da carreira inusitada que criou para si: Youtuber. Mesmo sem ter feito nenhum curso, ela mesma grava e edita seus vídeos, tudo com um celular que está longe de ser sofisticado.

E foi justamente o celular que também mudou a vida de Guylherme Ribeiro. Aos 20 anos de idade, o curitibano sonhava em empreender por conta própria, mas era mais um jovem sem condições financeiras e endividado com um financiamento de carro de 60 meses. Foi quando um amigo, funcionário de uma loja de conserto de celulares, deu a ideia de começar um negócio similar. Mas como fazer isso sem conhecimento e sem dinheiro para um curso?

Em vez de abandonar o projeto, Guylherme aprendeu o ofício assistindo tutoriais no Youtube sem gastar nenhum centavo. Hoje ele é dono da maior rede de assistência técnica de celulares que, só em 2020, cresceu 70% em número de franqueados.

O que fez a diferença na vida dessas pessoas – e de muitas outras com histórias de sucesso – foi terem usado seu tempo e as ferramentas disponíveis para criar oportunidades e não para esperar por elas. O número de celulares no Brasil ultrapassa o da população: 245,4 milhões de aparelhos em junho de 2021, segundo a Anatel. E o número de horas que cada um recebe por dia é exatamente o mesmo. O segredo está em como cada um utiliza aquilo que tem em vez de focar naquilo que não tem.

Últimas

    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages