Análise: “Eu me entendo na minha bagunça!” Será?

Essa é uma frase comum para muita gente, mas será mesmo que dá para se entender, viver e ser bem-sucedido em meio à bagunça?

Não dá para ir longe vivendo na bagunça

Não dá para ir longe vivendo na bagunça

Pixabay

Na infância, quando eu e meus primos fazíamos bagunça, meu avô, português, quase sempre aparecia perguntando: “mas, que mixórdia é essa?” Nós, todos brasileiros, não sabíamos muito bem o que aquela palavra significava, mas tínhamos certeza de que não era nada boa! Lá íamos nós colocar tudo no lugar reclamando do quanto organizar as coisas era chato e o quanto a bagunça era legal... 

Assim como eu e meus primos, talvez você também tenha crescido com esse pensamento de que ter e manter as coisas em ordem é algo muito chato. Porém, quando chegamos à vida adulta, é preciso repensar nossos conceitos e analisar se não estamos agindo feito crianças.

Baderna, caos, confusão, desordem, tumulto e, claro, mixórdia, são sinônimos de bagunça. Ninguém que leva uma vida tumultuada, desorganizada e em meio ao caos vai conseguir chegar muito longe. Todos nós precisamos de um mínimo de ordem para viver em paz e tranquilidade.

Você quer que a condução que o leva ao trabalho passe no horário que precisa, caso contrário, seu dia será tumultuado. Você quer ter seu pagamento depositado no quinto dia útil de todo mês, caso contrário, seus compromissos vão virar um caos. Você quer que seus filhos lhe obedeçam, caso contrário, sua casa será uma confusão.

Para que as coisas não cheguem a esse ponto, é preciso ordem, disciplina e organização, atitudes que geralmente não gostamos, pois vão contra a nossa vontade de deixar as coisas acontecerem por si mesmas. Para nós seria muito mais cômodo se tudo se auto-organizasse, mas a única coisa que se autoestabelece é a bagunça. É só você parar de dar atenção a alguma área da sua vida e pronto, lá estará a bagunça muito bem instalada, mesmo sem ter sido convidada.

Muito mais do que manter as coisas exteriores arrumadas em caixas com etiquetas, é preciso organizar o nosso interior. Pessoas que estão sempre com pensamentos confusos, ora concordando com a opinião de um, ora com a de outro, que não conseguem avaliar por si mesmas o que é certo e o que é errado e que sempre dependem de conselhos de terceiros para conduzirem a própria vida estão vivendo em meio a uma tremenda bagunça e, em consequência disso, estão sempre estressadas, ansiosas e aflitas.

A bagunça na vida adulta não se trata mais daquela algazarra de criança que é saudável e positiva. Mas sim, de algo que tem se instalado na vida de muitos e que, cedo ou tarde, vai se exteriorizar de alguma maneira. Não é à toa que estamos vendo todos os dias com nossos próprios olhos a bagunça que tem sido a nossa sociedade. Tudo o que fazemos começa nos nossos pensamentos, portanto, aproveite para analisar como estão os seus.

Patricia Lages

É jornalista internacional, tendo atuado na Argentina, Inglaterra e Israel. É autora de cinco best-sellers de finanças e empreendedorismo e do blog Bolsa Blindada. Ministra cursos e palestras, tendo se apresentado no evento “Success, the only choice” na Universidade Harvard (2014). Na TV, apresenta os quadros "Economia doméstica" no programa "Mulheres" TV Gazeta e "Economia a Dois" na Escola do Amor, Record TV. No YouTube mantém o canal "Patrícia Lages - Dicas de Economia", com vídeos todas as segundas e quartas.