Patricia Lages Análise: Dupla Covas-Doria garante aumentos para todos

Análise: Dupla Covas-Doria garante aumentos para todos

Pensou que prefeito de SP aumentou apenas o próprio salário?  Dupla reservou vários aumentos para paulistas e paulistanos

João Doria e Bruno Covas

João Doria e Bruno Covas

Amanda Perobelli - 29.11.2020/Reuters

Depois de sancionar o aumento de 46% no próprio salário, justificando que o teto de 24 mil reais do funcionalismo público precisava ser elevado por estar defasado, Bruno Covas resolveu promover também outros aumentos. Uma das medidas foi aumentar as despesas dos idosos, revogando uma lei de 2013 que garantia passe livre a pessoas entre 60 e 65 anos.

Nisso, ele não está só, afinal, por que não estender essa medida ao estado todo? João Doria fez exatamente o mesmo e revogou a lei que previa a isenção de tarifa desde 2014, em âmbito estadual. Graças à dupla de gestores, idosos até 65 anos terão de pagar para viajar nos ônibus municipais, metrô, trens da CPTM e também ônibus intermunicipais (EMTU).

A gratuidade só será mantida para pessoas acima de 65 anos por conta de uma lei federal prevista no Estatuto do Idoso. Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a medida é "um ataque ao direito dos usuários", pois impactará profundamente a vida dos idosos vulneráveis, enquanto representará uma economia irrisória aos cofres públicos. Porém, para a dupla que “salva vidas” isso não é nenhum problema.

Mas um prefeito equilibrado não trabalha apenas com aumentos, ele também promove corte de despesas. É o caso do fundo municipal do idoso que terá redução de 91% no orçamento em relação ao ano passado. Os R$ 2,7 bilhões de 2020 despencaram para R$ 253,6 milhões em 2021. Viu só como vidas importam? A dos idosos então, nem se fala!

E é claro que ninguém duvida do amor de João Doria por vidas, pois o sentimento é tão imenso que ele faz questão de manter os paulistas em lockdown eterno, mesmo que esses rebeldes não queiram mais obedece-lo. Veja se tem cabimento essas pessoas ficarem pensando em trabalho e em contas a pagar quando deveriam dar graças a Doria por sua saúde e pela vacina chinesa que nem os chineses adotaram. É tudo nosso!

Aliás, falando em saúde, para assegurar a todos os paulistas pleno direito a ela, o governador-gestor põe fim à isenção de impostos! Não é demais? O que? Você quer saber de quais impostos? Ora, sobre medicamentos e insumos médicos-hospitalares, claro! Em plena pandemia, Doria tem a brilhante ideia de revogar a isenção fiscal para hospitais, clínicas, casas de saúde e laboratórios de análises clínicas. Obviamente tudo ficará ainda mais caro, mas isso é apenas um detalhe.

Pena que sempre tem alguém no caminho do governador para tentar atrapalhar seus planos de salvar nossas vidas. Desta vez é o Sindicato dos Hospitais de São Paulo (Sindhosp), que afirma que o governador não tem legitimidade para revogar benefícios unilateralmente e que a medida precisaria da aprovação de quatro quintos dos representantes estaduais ou ser sancionada por meio de lei. O caso vai para a justiça, mas como Doria não gosta de ser contrariado, não será nada fácil fazê-lo desistir da ideia de aumentar os custos hospitalares, afinal de contas, se nem a pandemia conseguiu, será que a justiça consegue?

Aumento de ICMS, redução de benefícios fiscais, revogação da alíquota de 3% do IPVA para veículos a álcool, gás natural e elétricos e regras mais rígidas para as pessoas com deficiência (PCD) adquirirem veículos com menos impostos. Bem democrático, afinal, ninguém ficou de fora! Essas são algumas das medidas do gestor-salvador que, ao que tudo indica, vai seguir firme lutando por cada uma delas, até porque, para salvar vidas vale tudo, não é mesmo?

Últimas

    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages