Patricia Lages Análise: Comunismo não é ruim, norte-coreanos é que não sabem passar fome

Análise: Comunismo não é ruim, norte-coreanos é que não sabem passar fome

Coreia do Norte pede aos cidadãos que reduzam o consumo de comida até 2025, quando o país deve reabrir fronteira com a China

Coreia do Norte, comandada por Kim Jong Un, teria pedido redução do consumo de comida

Coreia do Norte, comandada por Kim Jong Un, teria pedido redução do consumo de comida

KCNA/via REUTERS

Segundo a rede Radio Free Asia (RFA), moradores que vivem na fronteira entre a Coreia do Norte e a China relataram que lideranças do governo de Kim Jong Un estão solicitando à população que diminua a ingestão de alimentos e “apertem os cintos mais do que nunca”. De acordo com a reportagem, o governo pede aos norte-coreanos que suportem a escassez de comida até 2025, quando a fronteira com a China deverá ser reaberta.

Dados da Organização nas Nações Unidas para Alimentação e Agricultura dão conta de que o país asiático enfrenta a falta de cerca de 860 mil toneladas de alimentos, enquanto o Programa Mundial de Alimentos da ONU estima que 4 de cada 10 cidadãos estão subnutridos. Resta saber como a população, que já vive em situação de insegurança alimentar neste momento, conseguirá se manter por mais quatro anos.

Enquanto isso, a grande mídia faz vista grossa e destaca que a “perda de peso do líder Kim Jong Un chama a atenção”, em uma possível tentativa de criar empatia pelo comunista que estaria sentindo na pele o mesmo que a população tem vivido e que, além disso, estaria preocupado com seus súditos, incentivando que passem a consumir cisnes negros para combater a fome.

Mas a verdade está longe disso, pois enquanto a população passa fome, Jong Un figura na lista anual da Forbes como um dos homens mais poderosos do mundo. Sua fortuna foi estimada (em 2013) em US$ 5 bilhões, além de ser proprietário de uma coleção milionária de relógios, mais de cem carros de luxo, uma ilha particular, 17 palácios espalhados pelo país e um jato chamado “Air Force Un”.

O líder supremo da Coreia do Norte também tem hábitos alimentares bastante peculiares como consumir altas quantidades de caviar preto iraniano, tomar centenas de garrafas de uísque e conhaque todos os anos – comprados principalmente dos Estados Unidos – e ainda preferir porcos importados da Dinamarca.   

O comunismo realmente é muito bom quando visto bem de longe. Pode-se dizer que é um regime excelente para quem está no comando e ruim apenas para aqueles que não sabem passar fome.

Autora

Patricia Lages é autora de cinco best-sellers sobre finanças pessoais e empreendedorismo e do blog Bolsa Blindada. É palestrante internacional e comentarista do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

Últimas

    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages