Análise: Coando a mosca e engolindo o camelo

Quando o foco está nos detalhes de coisas insignificantes, os verdadeiros problemas têm passe livre para fazer seus estragos

Desvios do dia a dia podem nos fazer perder o foco

Desvios do dia a dia podem nos fazer perder o foco

Reprodução

É curioso ver como nós, seres humanos, temos uma facilidade enorme em perder o foco e desviar a mira do alvo principal. Lembro-me da época em que começamos a produzir uma revista com receitas para diabéticos em parceria com uma instituição renomada de saúde. Havia médicos e nutricionistas que ditavam as diretrizes do que os pacientes – no nosso caso, leitores – podiam consumir ou não e com que frequência.

Recebemos o direcionamento e começamos a criar e selecionar as receitas que fariam parte de cada edição e, para ter aderência do público, fomos pesquisar que tipo de receitas os diabéticos gostariam de ver na revista. É claro que os pratos mais votados eram justamente os que a dieta impedia ou limitava o consumo e, inicialmente, nem sequer consideramos incluí-las.

Mas, com o passar do tempo, começamos a nos preocupar muito mais com o visual do que com a informação nutricional das receitas. Se o prato fosse ótimo para o paciente, mas tivesse um visual feio, fazíamos de tudo para substituí-lo. Focamos todos os esforços em produzir cenas com louças, taças, copos e talheres impecáveis, além de toda roupa de mesa de acordo com as últimas tendências.

Marcamos uma apresentação e defendemos com entusiasmo e veemência o nosso ponto de vista estético. Conseguimos convencer facilmente toda a equipe, principalmente o pessoal de marketing, afinal de contas, é mais fácil vender algo quando a “embalagem” é bonita. Estávamos felizes da vida até que o médico responsável pediu a palavra para fazer um único comentário com toda calma que só os sábios têm: “Vocês realmente são experts em produção, estou maravilhado! O diabético que comer isso vai ‘morrer bonito’.”

Esse mesmo comportamento pode ser visto de várias formas e em diversos aspectos da vida. Há casais que não se importam com o fato de um não ter a mínima ideia de quanto é a renda do outro e nem em alinhar seus objetivos financeiros. Fazem vista grossa para pequenas mentiras e não ligam se discordam da educação dos filhos. Porém, logo pensam em divórcio por picuinhas do dia a dia, como “ele não é mais romântico” ou “ela não gosta dos meus amigos”. Nas finanças não é diferente: há quem não poupe nenhum dinheiro justificando que nunca sobra nada, enquanto perde milhares de reais em juros de compras e empréstimos sem o menor planejamento.

Pequenos desvios do dia a dia são capazes de nos fazer perder o foco totalmente, por isso, é preciso estarmos atentos a todo momento para não permitirmos que as distrações do dia a dia nos afastem daquilo que realmente importa.

Autora

Patricia Lages é autora de 5 best-sellers sobre finanças pessoais e empreendedorismo e do blog Bolsa Blindada. É palestrante internacional e comentarista do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

Últimas

    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages