Análise: A mulher e o poder da influência

É indiscutível que toda mulher tem o poder de influenciar as pessoas ao seu redor, mas a grande questão é como exercer uma influência positiva

Pixabay

Ainda que muitas pessoas afirmem categoricamente que agem como querem, que só vestem o que desejam e que não se deixam influenciar pelo que os outros (ou outras) pensam, a era da influência está aí para provar exatamente o contrário. Afinal de contas, se a opinião alheia não nos atingisse, a publicidade não estaria com seus holofotes voltados para os “influenciadores profissionais” que nos cercam por todos os lados.

E a mulher tem um papel de extrema importância quando o assunto é exercer influência. Basta observar uma coisa simples que acontece de forma bem corriqueira: em qualquer ambiente onde uma mulher está de mal humor, as chances de que ela deixe as demais pessoas mal-humoradas são imensas. O mesmo acontece na nossa casa: se a mãe, a esposa ou a filha estiverem aborrecidas, sem sombra de dúvida o ambiente vai ficar pesado.

Outra grande verdade é que a maior forma de influenciar alguém é pelo exemplo, de maneira que não importa o que dizemos, mas importa o que fazemos. Por isso a educação que tínhamos em casa no passado está tão escassa nos dias de hoje, pois há muito falatório e pouco exemplo e os resultados disso estão aí para que os mais observadores tirem suas conclusões.

Considerando essa análise, acredito que a maioria das mulheres imagina que tem sido um bom exemplo para seus filhos, marido, familiares, amigos e colegas de trabalho. Porém, se assim fosse, nossa sociedade não estaria como está. O que poucas pessoas têm tido capacidade de perceber é que a influência vem do exemplo, assim como o exemplo vem das reações que temos diante dos acontecimentos da vida. Os maiores exemplos não vêm do que fazemos quando tudo vai bem, mas sim, da forma como reagimos diante das situações adversas.

Quando reagimos mal diante dos problemas e das intempéries da vida, nosso exemplo será negativo e a nossa influência sobre os demais será negativa. Portanto, por mais que nossas redes sociais estejam cheias de palavras de motivação, fé e otimismo, são as nossas reações que mostrarão quem somos. Não são os seus posts sobre perseverança ou os seus comentários cheios de positividade na internet que influenciarão de fato e de verdade as pessoas que lhe conhecem. O que realmente tem valor e fala muito mais alto do que qualquer discurso são as suas reações nos momentos difíceis.

A mulher que reage à ofensa com brandura, que não paga o mal com a mesma moeda, que persevera diante das lutas e que mostra a sua força por meio de sua postura correta, essa sim, é uma grande influenciadora. Isso vai muito além de ir para as ruas levantando bandeiras ou de querer impor respeito na base do grito. Isso é apenas para aquelas que, verdadeiramente, são mulheres no mais amplo sentido da palavra. Feliz Dia da Mulher, todos os dias.

Patricia Lages

É jornalista internacional, tendo atuado na Argentina, Inglaterra e Israel. É autora de cinco best-sellers de finanças e empreendedorismo e do blog Bolsa Blindada. Ministra cursos e palestras, tendo se apresentado no evento “Success, the only choice” na Universidade Harvard (2014). Na TV, apresenta o quadro "Economia a Dois" na Escola do Amor, Record TV. No YouTube mantém o canal "Patricia Lages - Dicas de Economia", com vídeos todas as terças e quintas.