Os cinco melhores livros de 2020

Ficção, poesia ou literatura infantil. Escolha o que mais lhe agrada e comece o ano com a melhor companhia para 2021: livros

  • Lifestyle | Do R7

Lista resgata a importância da leitura e como podemos levar nossa imaginação a qualquer lugar

Lista resgata a importância da leitura e como podemos levar nossa imaginação a qualquer lugar

Reprodução

Se tem uma coisa que 2020 nos trouxe foi a necessidade de nos conectarmos com os pequenos prazeres que podemos ter em nossa rotina. Vivendo um dia a dia atípico, em que precisamos ficar em casa em nome da saúde de todos, 2020 também nos apresentou diversos questionamentos.

Por isso, a lista dos 5 melhores livros do ano reflete um movimento que resgata a importância da leitura e como podemos levar nossa imaginação a qualquer lugar, mesmo estando dentro de casa. Ler tornou-se um ato de resistência durante o ano que ficará marcado para sempre. E, agora, ler também é sinônimo de viajar. Muitos consideram o hábito da leitura a melhor forma de poder levar a mente para outro lugar.

Se você também é um leitor voraz, e está sempre em busca de novidades para abastecer a sua estante, com o cupom Submarino você pode comprar livros on-line com um desconto especial. Aproveite a oportunidade para conhecer os livros que mais bombaram em 2020 em diversas categorias.

Ficção: O avesso da pele (Jeferson Tenório)

O avesso da pele

O avesso da pele

Reprodução

O livro traz uma questão urgente e que é fundamental estar cada vez mais presente em nossos debates. A história do personagem Pedro é contada a partir do assassinato do pai em uma abordagem policial mal-sucedida e que o leva a procurar o passado de sua família paterna.

Um livro que trata do racismo entranhado na nossa cultura, de um sistema educacional precário e de uma luta diária que os negros atravessam em um país que não reconhece ser racista e preconceituoso. É uma leitura sensível, contundente e obrigatória que Jeferson Tenório, o autor, nos apresenta pelo olhar de Pedro.

Não-ficção: A vida não é útil (Ailton Krenak)

A vida não é útil

A vida não é útil

Reprodução

O livro de não ficção do pensador e líder indígena Ailton Krenak é uma crítica ferrenha ao status quo da nossa chamada "civilização". Abarcando desde o consumismo irresponsável do ser humano que coloca a natureza em constante risco de colapso até questões mais filosóficas e centrais à sua visão de humanidade.

O livro é o resultado de reflexões e pensamentos de Krenak a respeito do atual estado da humanidade: presa e isolada devido ao problemático e devastador efeito do coronavírus sobre o planeta Terra.

Poesia: Para o meu coração num domingo (Wislawa Szymborska)

Para o meu coração num domingo

Para o meu coração num domingo

Reprodução

A poesia alimenta a alma e aquece nossos corações. A terceira coletânea de poemas da escritora polonesa, vencedora de um Nobel de literatura, em 1996, e uma das maiores escritoras em língua polonesa chega ao país traduzida para o português.

O livro reúne 85 poemas, que tratam com humor, sutileza e doçura sobre temas cotidianos e dores do humano. Aos mais sensíveis, a coletânea de Szymborska é um alento em forma de palavras.

Literatura infantojuvenil: E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas (Emicida)

E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas

E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas

Reprodução

Um dos maiores talentos da música nacional, o compositor e rapper Emicida também tem muito a nos dizer com suas sábias palavras traduzidas em literatura infantojuvenil. Seu "E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas" traz, com sensibilidade, a história de uma menina que tinha medo da escuridão, mas, mal sabia ela que do lado de lá, na escuridão, também tinha uma menina com medo da luz. Uma história sobre coragem, descobertas e amadurecimento para os pequenos leitores.

Divulgação científica: Ciência no cotidiano: viva a razão. Abaixo a ignorância! (Natália Pasternak e Carlos Orsi)

Ciência no cotidiano: viva a razão. Abaixo a ignorância!

Ciência no cotidiano: viva a razão. Abaixo a ignorância!

Reprodução

Natália Pasternak e Carlos Orsi trazem este ótimo livro que tem como principal objetivo lançar luz sobre a ciência durante um período em que tantas pessoas optam pelo negacionismo. Assim, a obra evidencia aquilo que o século XXI tem de melhor: a ciência e tudo o que podemos colher de positivo por conta dela.

Portanto, é uma ótima leitura para quem não nega a ciência, para poder reafirmar suas crenças no fazer científico, mas, sobretudo, é uma leitura obrigatória para quem ainda, em pleno século XXI e ano de 2021 ainda insiste em negá-la.


Agora que você já sabe quais são os cinco melhores livros de 2020, que tal começar 2021 em dia com as suas leituras? Boas dicas não faltam!

Últimas