Coronavírus

Lifestyle OMS pede que filhos e netos liguem sempre para pais e avós confinados

OMS pede que filhos e netos liguem sempre para pais e avós confinados

"Distância física não significa isolamento social", disse, nesta quinta-feira (2), o chefe do escritório da organização na Europa, Hans Klunge

  • Lifestyle | Da EFE

OMS pediu que filhos e netos liguem diariamente para pais e avós confinados

OMS pediu que filhos e netos liguem diariamente para pais e avós confinados

Freepik

As medidas de confinamento para interromper a transmissão do coronavírus estão deixando consequências, principalmente entre os mais vulneráveis, idosos e doentes. Por isso, nesta quinta-feira (2), a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu a familiares e amigos que liguem para essas pessoas pelo menos uma vez por dia para que elas não se sintam abandonadas.

"Quero passar uma mensagem para os mais jovens, manter os avós em segurança significa que eles não podem visitá-los pessoalmente, mas ligar para eles, conversar com eles todos os dias para que não se sintam sozinhos. Distância física não significa isolamento social", disse o chefe do escritório da OMS na Europa, Hans Klunge.

Leia também: Coronavírus: por que a covid-19 afeta tanto os profissionais de saúde?

O médico, responsável pela OMS em mais de cinquenta países — que vão da Europa Ocidental à Eurásia, Rússia e Israel —, disse que as famílias devem ajudar as pessoas idosas a entender as informações sobre o coronavírus para poderem se manter saudáveis.

A Cruz Vermelha Espanhola identificou, nesta linha, 400.000 pessoas em alto risco para o coronavírus e dirigiu uma campanha informativa a eles. Na Irlanda, as associações esportivas, além de ligar diariamente para os idosos, fazem compras para eles e deixam na frente de suas portas para evitar qualquer contato que possa colocá-los em risco.

95% dos casos de infecção por coronavírus na região europeia da OMS têm mais de 60 anos e 50% do total tem mais de 80, mas a tendência a desenvolver uma forma grave da doença provavelmente está mais relacionada ao estado saúde geral da pessoa do que com a idade.

Em uma coletiva de imprensa virtual, Klunge disse que oito em cada dez pessoas que morreram sofriam de pelo menos uma doença crônica.

No entanto, o responsável também enfatizou que "qualquer noção de que o COVID-19 afeta apenas os idosos é falsa", uma vez que entre 10 e 15% dos casos moderados a graves têm menos de 50 anos de idade.

Na Espanha e na Itália, os países mais afetados da Europa, 10% dos que morreram de coronavírus estavam na faixa de 70 a 79 anos, disse ele.

Quando o confinamento estrito ou parcial foi imposto na maioria dos países da região, a OMS pediu a todos os afetados - embora com ênfase especial nos idosos - que prestem atenção à sua nutrição, façam atividades físicas e fiquem longe tabaco e álcool.

"Mesmo dentro de casa, você pode ser fisicamente ativo. Se estamos sentados, trabalhando ou assistindo televisão, vamos nos levantar pelo menos a cada hora, estabelecer uma rotina diária com objetivos, como fazer 30 minutos de exercício", disse um especialista da a organização.

As aultas virtuais de exercícios também são uma opção, mas, se alguém não souber acessá-las, ouvir música e dançar também é uma boa alternativa, defendeu.

O especialista da OMS Manfred Huber enfatizou que manter uma conexão social é essencial para as pessoas, principalmente se elas moram sozinhas.

"Você precisa motivá-los e ajudá-los a encontrar uma atividade que os interesse, que os diverte, para que eles mantenham sua saúde física e mental. Também deve haver uma rotina regular de sono e evitar assistir a notícias o dia todo", recomendou.

(Com informações da EFE)

Últimas