Lifestyle O que alavancou a fome no país: a pandemia ou o egoísmo? 

O que alavancou a fome no país: a pandemia ou o egoísmo? 

Fala Que Eu Te Escuto desta quarta-feira discutiu as consequências da guerra contra o coronavírus na vida e no bolso dos brasileiros e perguntou aos espectadores se os governantes falharam na condução da crise

  • Lifestyle | Ana Carolina Cury, Do R7

Prateleiras cheias e carrinhos vazios. Essa é a realidade em muitos supermercados. O brasileiro sentiu no bolso o aumento do preço de produtos essenciais, da conta de luz, do combustível, do gás de cozinha, entre outros itens.

As famílias estão gastando mais para consumir menos e os mais pobres são os que mais sofrem com tudo isso. Estudos já mostram que aproximadamente 20 milhões de brasileiros revelaram que chegam a ficar 24 horas sem ter o que comer. Além disso, 116,8 milhões de pessoas disseram sofrer algum tipo de insegurança alimentar (quando o acesso a alimentos e sua disponibilidade são escassos).

Pessoas disputam restos de comida em caminhão de lixo

Pessoas disputam restos de comida em caminhão de lixo

Reprodução

O economista Marcelo Neri, diretor da FGV Social, chegou a destacar que a pandemia intensificou a desigualdade. "Sim, antes havia quem buscasse comida nos restos jogados fora, mas hoje existem mais pessoas nessa situação. Infelizmente, teremos mais episódios de pobres revirando lixo".

Fatores relevantes

Diante desse triste cenário, o programa Fala Que Eu Te Escuto abordou o assunto e perguntou aos espectadores se os governantes falharam na condução da pandemia ou se a crise era inevitável.

"O desafio é grande! Desde o início da pandemia tivemos que usar a criatividade para conseguir nos manter financeiramente e minimizar gastos. Os aumentos constantes, de energia, de combustível, da cesta básica etc., estão dificultando ainda mais a vida dos brasileiros. Sabíamos que esses problemas eram inevitáveis, mas creio que houve falhas na condução que pioraram a situação e a conta está sendo cobrada agora", afirmou o contador tributarista especialista em soluções financeiras Enzo Ribeiro.

Atualmente o país tem 14,1 milhões de brasileiros desempregados em um cenário no qual a inflação elevou em 10,25% os preços nos últimos doze meses. "A economia mundial sofreu um grande impacto. Nós tivemos muitos imprevistos que não estavam no orçamento e, infelizmente, quem paga a conta somos nós. Afinal, nossos governantes vão ter que suprir esses gastos de alguma forma", destacou a bancária Patrícia Soares.

Programa falou sobre a importância da união para vencer a pandemia

Programa falou sobre a importância da união para vencer a pandemia

Divulgação

O gestor público Rafael de Freitas afirmou que o aumento dos preços poderia ter sido evitado. "A pandemia foi inevitável e deixaria consequências. Mas, além disso, tivemos uma má gestão. Autoridades usaram essa pandemia como palanque e deixaram o povo de lado. Infelizmente não vimos uma política pública eficiente que pensasse neste momento".

Assim como ele, 63% dos espectadores disseram acreditar que os governantes falharam na pandemia. "É óbvio que nós estamos vivendo uma guerra mundial contra um inimigo invisível, que é o coronavírus, e sempre depois de uma guerra, infelizmente, há escassez. Então, na pandemia não seria diferente. Porém, muitos se aproveitaram deste momento tão difícil e visaram se promover politicamente e é como Jesus disse: 'um reino dividido não subsiste'. Precisamos de união e não de divisão", concluiu o apresentador, o bispo Adilson Silva.

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 0h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Últimas