Grife italiana é acusada de racismo por fotos de brasileiro

Imagens da Marni do fotógrafo Edgar Azevedo com direção de Giovanni Bianco, ambos brasileiros, foram criticadas por referência à escravidão

Foto da coleção verão 2021 da Marni de Edgar Azevedo em rede social

Foto da coleção verão 2021 da Marni de Edgar Azevedo em rede social

Reprodução Instagram Edgar Azevedo

A grife de luxo italiana Marni foi acusada de racismo após divulgar sua nova campanha de verão 2021, fotografada por Edgar Azevedo e com direção de arte de Giovanni Bianco, ambos brasileiros.

Depois da publicação nas redes sociais, internautas apontaram que as imagens reproduziam estereótipos racistas, fazendo uma relação errônea de primitividade e colonização de corpos pretos.

Leia também: Homem branco continuou ofensas a entregador na delegacia

As fotos foram feitas em uma praia de Salvador, no Brasil, e mostram os modelos negros acompanhados de expressões como "clima de selva", "amuleto tribal" e "descalço na selva". Em uma delas, é possível ver um negro usando correntes próximas aos pés, que se assemelhavam com as algemas que eram usadas durante o período de escravatura.

Após a polêmica, a marca italiana pediu desculpas em um comunicado oficial, reforçando que a ideia era celebrar a cultura afro-brasileira.

"Na Marni, pedimos profundas desculpas pelo dano e ofensa que nossa última campanha causou. O que se pretendia ser uma campanha que celebrava a beleza da cultura afro-brasileira sob a perspectiva do fotógrafo brasileiro Edgard Azevedo veio a bom termo tendo tido o impacto oposto. Nossas fiscalizações ao longo do processo de revisão são inaceitáveis - e, por isso, lamentamos muito", escreveu a grife no Instagram.

No texto, a Marni explica que "está totalmente comprometida em defender a inclusão e celebrar a beleza de diversas culturas em todo o mundo". "Enquanto nos esforçamos para criar um mundo mais equitativo, através da moda e da humanidade compartilhada, lamentamos sinceramente que nossos esforços tenham causado mais dores".

Segundo a empresa, todas as imagens da campanha foram removidas e os esforços estão sendo redobrados para garantir que os processos sejam realizados com consideração e intencionalidade por meio de uma forte lente de equidade.

Leia também: Fotógrafo faz registro emocionante de resgate após explosão em Beirute

"Toda a nossa equipe está comprometida em usar esse momento como uma oportunidade de alavancar nossa plataforma para apoiar e capacitar mais vozes e criadores de cores, cujos talentos e ideias são fundamentais para criar uma indústria da moda mais inclusiva e diversificada", finalizou.