Lifestyle Fundo contempla 1.000 mulheres vulneráveis financeiramente

Fundo contempla 1.000 mulheres vulneráveis financeiramente

Recursos serão destinados para novos grupos de diversas comunidades, beneficiando mulheres de todas as regiões do país

  • Lifestyle | Do R7

Microempreendedoras puderam contar com microcréditos para impulsionar negócios

Microempreendedoras puderam contar com microcréditos para impulsionar negócios

Reprodução/Pexels

O Fundo Dona de Mim, iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil, nasceu com o propósito de incentivar microempreendedoras impactadas pela crise econômica provocada pela covid-19. Em nove meses, o fundo concedeu microcréditos de R$ 2.000 ou R$ 3.000 para mil mulheres investirem em seus projetos. As contempladas são provenientes de todas as regiões do Brasil e, com o acesso a esses créditos, conseguiram incrementar seus negócios ou iniciar uma atividade geradora de renda.

É o caso de Cris Neri, que solicitou o crédito de R$ 3.000 para investir na área de alimentação. Ela começou a fazer comidas congeladas durante a pandemia, contando apenas com uma geladeira.

"Graças ao Fundo Dona de Mim, pude comprar um freezer para armazenar as minhas marmitas congeladas, aumentando assim o meu faturamento. Esse projeto mudou a minha realidade e me fez enxergar um horizonte de oportunidades", afirma a microempreendedora.

Apoio a mulheres 'invisíveis'

Sônia Hess, idealizadora da ação e vice-presidente do Grupo Mulheres do Brasil, conta que o programa nasceu de um sonho e de uma inquietação frente ao cenário de instabilidade econômica imposto pela pandemia.

"O grande propósito do Fundo Dona de Mim agora é dar mais oportunidade às mulheres invisíveis que não tem acesso a crédito", diz Sônia.

De todas as mil mulheres beneficiadas, duzentas já começaram a pagar as mensalidades, e esse retorno será totalmente reinvestido em novos grupos.

Capacitação profissional

Sônia ressalta que todas as contempladas, obrigatoriamente, passam por uma capacitação profissional, a Trilha Empreendedora, desenvolvida pela Rede Mulher Empreendedora (RME), da empresária Ana Fontes, e pelo processo de acolhimento feito pelas 62 Fundadoras, para que elas possam aplicar e administrar esses recursos de forma eficiente.

A iniciativa concretizou-se com a união de um time renomado, composto pelas empresárias Luiza Helena Trajano, Alice Coutinho, e a gestora financeira e também membro do coletivo, Denise Damiani, com apoio do Banco Pérola.

Ao conceber o Fundo Dona de Mim, Sônia teve como inspiração o modelo de empreendedorismo social do Prêmio Nobel Muhammad Yunus, cuja filosofia é: "o microcrédito é a cristalização da esperança indicando o caminho para que as mulheres em situação de vulnerabilidade possam sair da armadilha da pobreza."

Últimas