Saiba como preparar seu filho para a chegada de um irmãozinho

Neuropsicóloga conta como compartilhar experiências de ciúmes pode ajudar criança a naturalizar suas frustrações 

Ciúme da chegada do recém-nascido é a reação mais natural, explica psicóloga

Ciúme da chegada do recém-nascido é a reação mais natural, explica psicóloga

Getty Images

Quando a neuropsicóloga Deborah Moss deu à luz o terceiro filho, ela se deparou com uma situação bastante comum com chegada de outro bebê. Com ciúme, seu menino do meio se aproximou da cabeça do recém-nascido e disse: “Mãe, não estou puxando o cabelo dele.”

“Percebi que o que ele estava comunicando era vontade de puxar o cabelo do irmão. Em vez de repreendê-lo, disse que senti a mesma vontade quando minha irmã nasceu. Ele arregalou os olhos, se sentindo compreendido. Por fim, disse que ele deveria esperar que a vontade passasse e o convidei a esperarmos juntos.”

Segundo a mestre em psicologia do desenvolvimento, a técnica usada consiste em não culpabilizar a criança pelo ciúme diante da chegada do irmão mais novo, uma dificuldade relatada por diversas famílias. “Dependendo da idade, o ciúme aparece”, explica Deborah. “O irmãozinho só toma um lugar na vida da criança quando ele chega, até porque a gravidez fica no âmbito do imaginário.”

Segundo a especialista, existem alguns comportamentos que a família pode adotar para preparar o mais velho para a chegada do irmão. No entanto, é importante não antecipar o sentimento de competição.

“O importante é não antecipar, mas acolher o ciúme na hora em que ele aparecer. Existem alguns recursos que podem ser usados para acostumar a criança com a ideia, como livros didáticos e o próprio calendário para situar sobre o tempo: durante a infância, nove meses podem parecer uma eternidade. ”

Confira, a seguir, as dicas da especialista para preparar os filhos para a chegada de um irmãozinho.

- Compartilhar e convidar da criança a participar da chegada do bebê, como ajudar nos preparativos do chá de fraldas e compras para a casa.

- Evitar 'tampar' os sentimentos da criança com presentes. Ela precisa entender que cada um tem o seu momento. Caso ela peça as lembranças dadas ao irmão, mostrar aquilo que ela já recebeu em aniversários pode ser uma boa ideia.

- Contar sobre as próprias experiências com o ciúme, de maneira a naturalizar o sentimento.

- Não antecipar os problemas, isso só deixará a criança mais ansiosa. O ideal é lidar com os sentimentos conforme eles surgirem.