Lifestyle Especialista ensina a lidar com a sensação de exaustão mental 

Especialista ensina a lidar com a sensação de exaustão mental 

Excesso de informações provoca efeitos nocivos à saúde mental, incluindo dificuldade constante de concentração e insônia

Excesso de informações pode causar de insônia a crises de ansiedade

Excesso de informações pode causar de insônia a crises de ansiedade

Reprodução/Pexels

Em meio ao constante cenário de incertezas que já dura mais de um ano, não é raro ouvir queixas a respeito de fadiga, estresse e tristeza, cujos impactos na saúde mental resultam em um desgaste tanto físico quanto psicológico, minando o ânimo e a produtividade. 

Para o psiquiatra Marco Abud, o excesso de informações acaba preenchendo nosso cérebro de tal maneira que resulta em um turbilhão de reflexões que, em alguns casos, leva a um descontrole emocional. 

"Não existe ainda um consenso que classifique o que vem sendo denominado de ‘aceleração do pensamento’ como um distúrbio, até por conta da necessidade de estudos científicos mais robustos que apontem com mais clareza para as causas e consequências dessa condição, mas de fato a dificuldade em parar de pensar traz efeitos nocivos para a nossa saúde geral", diz o especialista.

"A exemplo disso, podem ocorrer a elevação dos batimentos cardíacos, sensação de fadiga, falta de ar, dor de cabeça e até outros sinais físicos que saltam aos olhos, como a queda excessiva de cabelos", explica ele.

Mudança de hábitos

Fundador do canal Saúde da Mente no YouTube com mais de 1,5 milhão de inscritos, Abud afirma que há formas para controlar esse tipo específico de ansiedade e que, com apoio médico, é possível passar a reconhecer os gatilhos responsáveis por desencadear o problema e aprender a frear seus avanços.

Ele ressalta que atitudes simples, como evitar o uso do celular durante as refeições e próximo ao horário de dormir, já podem causar uma mudança positiva no estado mental. 

Acima de tudo, a chave está em lembrar que, antes de qualquer outra urgência, o respeito a si mesmo deve prevalecer.

"É impossível deixar a agenda de lado e esquecer os compromissos. Não há mal algum em fazer uma coisa de cada vez, e mesmo que a lista de tarefas pareça estar repleta de urgências, lembre-se de avaliar as reais prioridades e organizá-las numa ordem lógica antes de começar a fazer tudo. E não não deixe de estabelecer limites: pequenas pausas ajudam a ‘recarregar as baterias’ e é preciso criar uma agenda que limite as horas de trabalho - mesmo estando em home office - garantindo a preservação dos momentos de descanso", finaliza Marco Abud.

Cinco dicas para desacelerar os pensamentos

Desconecte

O vício em permanecer conectado leva a um ciclo sem fim de excesso de informações que chegam por meio de inúmeros canais de comunicação digital. Esse excesso, faz com que a mente permaneça em alerta máximo o tempo todo. O remédio para isso é um só: concentre-se no que estiver fazendo e largue o celular quando ele não for essencial para aquela atividade específica.

Organize uma lista de tarefas 

A pandemia e toda adaptação ao home office trouxe a sensação de que falta tempo para dar conta do trabalho e dos afazeres domésticos. Afinal, é preciso participar de reuniões virtuais, produzir aquilo que é necessário para o bom andamento do trabalho, cozinhar as refeições (e lavar a louça), ajudar os filhos nas tarefas…

Mas, na maioria das vezes, é totalmente possível dar conta de tudo isso sem abrir mão dos momentos de relaxamento e descanso. O poder de estabelecer limites cabe só a você mesmo. Reflita e crie uma agenda, só assim será possível focar no que precisa ser feito sem deixar que o desespero tome conta.

Faça pausas

Que tal aproveitar para almoçar com calma ao som das suas músicas favoritas? Ou talvez tentar sentar à mesa no mesmo horário que as pessoas que moram com você e aproveitar o momento para conversar um pouco sobre temas que sejam do interesse de todos?

Vale também levantar no meio da tarde para tomar um cafezinho ou comer uma fruta longe do computador. Esses momentos de descontração ajudam o cérebro a relaxar antes de retornar ao nível máximo de produtividade.

Pratique alguma atividade de lazer

Quando nos movimentamos o cérebro libera hormônios como endorfina, serotonina, dopamina e ocitocina, que provocam a sensação de bem-estar e, com isso, ajudam a controlar os níveis de estresse. Vale caminhar, dançar, praticar os mais variados esportes.
Mas não é só isso: tocar um instrumento, pintar, cozinhar, ler ou incluir qualquer outra ação na sua rotina que contribua para te trazer prazer e aliviar a tensão são sempre bem-vindos. 

Procure ajuda profissional

Quando tentar colocar as ideias em ordem se torna um motivo de desespero é hora de pedir apoio. Ainda mais diante desse período de mais de um ano de incertezas que seguimos enfrentando, é comum nos sentirmos desorientados, sem saber como processar o volume de dados, tarefas e preocupações que insistem em nos rondar.

O aconselhamento médico profissional irá contribuir nesse processo de reencontro com o seu equilíbrio e te dar as ferramentas para lidar da melhor maneira com essas dificuldades.

Últimas