Equilíbrio para uma vida mais saudável Xilitol? Stévia? Fique por dentro dos termos do universo dos adoçantes

Xilitol? Stévia? Fique por dentro dos termos do universo dos adoçantes

Existem vários tipos de edulcorantes, com diferentes substâncias

Folha de stévia, que adoça até 300 vezes mais que o açúcar.

Folha de stévia, que adoça até 300 vezes mais que o açúcar.

Pixabay

Você já usou algum tipo de edulcorante em alimentos e bebidas, seja em pó ou líquido? Provavelmente sim, porque esse é um termo utilizado também para designar os adoçantes, substâncias com o poder de adoçar próximo ou igual ao do açúcar. E mais: são produtos com baixo teor calórico quando comparados ao açúcar. Isso mesmo!

Finn é uma marca tradicional de adoçantes, que oferece equilíbrio para uma alimentação mais saudável, pois aposta em soluções sem açúcar para uma rotina com menos calorias e mais nutrientes aposta em uma rotina com menos calorias e saudável.

Existem atualmente vários tipos de adoçantes, que são produzidos com diferentes substâncias e recebem nomes variados. Confira abaixo a origem de alguns deles:

• Xilitol  

Pode ser extraído de muitas frutas e vegetais. Sendo utilizado desde a década de 1960 na alimentação humana e tende a adoçar na mesma proporção do açúcar mas com 40% menos caloria. Além do uso na indústria alimentícia, é utilizado na área farmacêutica e química (para produzir cosméticos, por exemplo). De acordo com estudos, pode ajudar na redução da ocorrência de cáries, pois tem o chamado efeito anticariogênico. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirma que o xilitol não afeta a identidade e a pureza dos alimentos, podendo ser utilizado também em receitas. Já a equivalente norte-americana da agência brasileira, a Food and Drug Administration (FDA), indica que seu consumo é permitido na quantidade necessária para adoçar conforme o gosto de quem o utiliza.

• Stévia

Também de origem natural, é originária da Stévia rebaudiana, planta nativa do Brasil e Paraguai. Acredita-se que já era usada pelos índios Guarani há mais de 1500 anos. Adoça até 300 vezes mais que o açúcar comum. Por ser resistente ao calor, é indicado para receitas que exigem altas temperaturas na preparação. Pode realçar o sabor dos alimentos e é benéfica à saúde.

• Taumatina

De origem africana e natural, é produzida a partir da fruta em forma de triângulo Katemfe (Thaumatococcus danielli), considerada a substância mais doce do mundo, segundo o Guinness Book. Seu poder de adoçamento pode chegar até 3 mil vezes maior que o do açúcar. Pode ocultar sabores residuais. O uso da taumatina é autorizado no Brasil desde 2008.

• Sucralose

É feito a partir da cana-de-açúcar. Foi desenvolvida na década de 1970, na Inglaterra, e liberada para consumo em 1998. Não deixa gosto residual amargo, resiste bem a altas temperaturas e tem dulçor 600 a 800 vezes maior que o açúcar.

Como você viu neste texto, opções de adoçantes não faltam, com características, histórias, composições, aplicações e grau de doçura diferentes.  Escolha o que mais combina com o seu estilo de vida.

Finn, equilíbrio para uma vida mais saudável.

Fontes e referências:
Xilitol: um edulcorante diversificado e benéfico para a saúde humana, Internet. Acesso em setembro/2021
Edulcorantes e suas características, Internet. Acesso em setembro/2021
Adoçantes naturais, quais são? Principais benefícios à saúde, Internet. Acesso em setembro/2021

Últimas