Dietas O que é preciso saber antes de adotar o jejum intermitente 

O que é preciso saber antes de adotar o jejum intermitente 

Após Kelly Key ter perdido 15 quilos com a prática, endocrinologista alerta que jejum voluntário não é indicado para todos

Sucesso entre as famosas, jejum intermitente não funciona sem melhora na alimentação

Sucesso entre as famosas, jejum intermitente não funciona sem melhora na alimentação

Reprodução/Instagram

Kelly Key declarou, nesta semana, ter eliminado 15 quilos durante a quarentena após intensificar o jejum intermitente. A cantora teria garantido um "antes e depois" de sucesso ao prolongar os períodos sem comer de 14 para 18 horas.

Apesar de provocar a perda de peso e fazer sucesso entre famosas e influenciadoras, o jejum voluntário não é indicado para todos. É o que explica a endocrinologista Mariana Carvalho, membro do comitê de ética do Hospital Estadual de Américo Brasiliense.

“Na maioria dos casos, o emagrecimento ocorre muito mais por causa de uma redução da quantidade de calorias com melhora na qualidade dos alimentos do que pelo tempo de jejum em si”, alerta a especialista. “Não adianta nada fazer um jejum prolongado se você ingerir alimentos hipercalóricos, ricos em açúcar, carboidratos e gorduras saturadas.”

Segundo a endocrinologista, os benefícios do jejum intermitente em relação à longevidade, imunidade e neuroproteção são dados baseados em experimentos animais que, a princípio, não podem ser extrapolados para seres humanos. “Ainda existem muitas perguntas em aberto, explica.”

Mas o jejum intermitente pode ser feito todos os dias? De acordo com a especialista, tudo depende a estratégia a ser adotada.  “Existem vários modelos como jejum com tempo restrito, períodos que variam de 12, 16, 24 e até 32 horas e períodos que alternam dias livres com dietas restritas.”

Ainda segundo a médica, o jejum não pode ser utilizado como uma estratégia de compensação pela comilança em excesso no dia anterior e também não é indicado para pessoas com histórico de transtornos alimentares. “Não é que o jejum cause a compulsão alimentar”, explica. “Mas o sintoma pode ser exacerbado em pessoas que já tenham pré-disposição. Também devem tomar bastante cuidado crianças, adolescentes, idosos e pessoas com baixa massa muscular.”

Veja também: Mulher viciada em fast food encara dieta e perde 63kg

Últimas