Léo do Masterchef revela como perdeu 80 kg sem cirurgia

Adepto da dieta de baixo carboidrato, cozinheiro contou ao R7 detalhes de sua rotina e motivação: "Na TV, enxerguei a necessidade de mudança"

No Instagram, Léo Santos compartilhou sua evolução na dieta

No Instagram, Léo Santos compartilhou sua evolução na dieta

Reprodução

O cozinheiro e produtor de conteúdo Léo Santos, que participou da quarta temporada do MasterChef, deu o que falar nas redes sociais após mostrar os resultados de sua reeducação alimentar após um ano, dois meses e 80 quilos a menos.

"O resultado é assustador até pra mim que vivo ele todos os dias, quando comparo as fotos! Aqui é tudo 100% natural, na base do esforço, e da garra mesmo" comemorou ele nas redes sociais, garantindo que a perda de peso não veio através de cirurgia ou remédio.

Ao R7,  o cozinheiro e ele revelou algumas das chaves de seu processo de reeducação alimentar, orientado pelo nutricionista Renato Barbim. Léo revela que o desejo de mudança na alimentação se intensificou justamente após sua entrada no reality: "Quando eu me vi na televisão, pude me enxergar de fora e ver a necessidade de mudança. No espelho eu achava que estava tudo bem, mas não estava."

Quando eu me vi na televisão, pude me enxergar de fora e ver a necessidade de mudança
Léo Santos

Adeus, carboidrato! 

"A minha alimentação é baseada na dieta low carb (baixo consumo de carboidratos). Quando comecei, não consumia nada de carboidratos, mas com a perda de peso e as atividades físicas mais intensas foi necessário procurar um nutricionista para alimentação."

Léo conta que se alimenta cinco vezes por dia, mas que todas as refeições não acumulam 140 gramas de carboidratos diários. Ele segue uma rotina de treinos intensa, com 2 horas e meia de musculação e uma hora de exercícios aeróbicos todos os dias.

Nada de passar vontade

Para o cozinheiro, um dos maiores desafios para entrar na dieta foi adaptar as receitas à seu novo estilo de vida. Antes de começar a dieta, Léo conta que fez uma pesquisa sobre os alimentos que poderia comer. "Comia não por fome, e sim por vontade. A dieta teria que me trazer algum prazer alimentar, senão não conseguiria." 

O vício em açúcar, obviamente, foi o obstáculo mais desafiador. "O organismo sente muita falta, principalmente no começo, mesmo substituindo por xilitol e outros adoçantes."

Driblando a fome emocional 

Muitos especialistas alertam que a dificuldade para adotar uma rotina saudável geralmente vem da recompensa emocional que a comida traz. Com Léo, não foi diferente: "A comida, além de alimentar, funciona como fonte de prazer, e se você não tem outra fonte de prazer é muito difícil abrir mão dela."