Dietas Jejum intermitente pode causar mais perda muscular do que de peso

Jejum intermitente pode causar mais perda muscular do que de peso

Segundo novo estudo, a tendência da dieta popular não é uma forma mais eficaz de emagrecimento

Dieta consiste em ficar longas horas sem comer

Dieta consiste em ficar longas horas sem comer

Pixabay

O jejum intermitente pode não ser tão saudável quanto alguns imaginam. Um novo estudo sobre o assunto foi publicado na JAMA Internal Medicine - uma revista médica mensal revisada por pares supervisionada pela American Medical Association - e sugere que a dieta restritiva de tempo não é necessariamente a melhor estratégia para perder peso.

O estudo foi conduzido por pesquisadores da University of California, San Francisco e da University of Hawai'i Cancer Center. Depois de observar os resultados da perda de peso de 116 adultos que foram considerados "acima do peso" ou "obesos", foi determinado que o jejum intermitente não produzia resultados "significativamente diferentes" de pessoas que faziam suas refeições em intervalos típicos.

Pessoas que praticam o jejum intermitente evitam comer por certas horas ao longo do dia. Algumas pessoas que fazem dieta não comem por 24 horas, enquanto outras preferem optar por um grande déficit calórico, de acordo com a Healthline.

Os proponentes da dieta afirmam que o jejum intermitente é um método superior de perda de peso ou pode contribuir para uma vida mais longa, mas os pesquisadores da UCSF e UHCC descobriram que alguns dos participantes que praticavam a dieta experimentaram uma perda significativa de massa muscular magra.

“A perda de massa magra durante a perda de peso normalmente é responsável por 20% a 30% da perda total de peso”, afirmou o estudo. “A proporção de perda de massa magra neste estudo (aproximadamente 65%) excede em muito a faixa normal de 20% a 30% ... Finalmente, a extensão da perda de massa magra durante a perda de peso foi positivamente correlacionada com a recuperação de peso.”

Apesar do aviso, o estudo observou que mais pesquisas precisam ser conduzidas com monitoramento próximo da ingestão de proteínas dos participantes. Os pesquisadores observaram os 116 participantes por apenas 12 semanas.

No geral, aqueles que praticaram jejum intermitente ao longo do estudo perderam meio quilo a mais do que aqueles que não restringiram seus horários de alimentação.

“Comer com restrição de tempo, na ausência de outras intervenções, não é mais eficaz na perda de peso do que comer ao longo do dia”, concluiu o estudo.

Últimas