Dia do Idoso: viagens em grupos dão 'liberdade' aos mais velhos

Passeios vão desde bate e volta até intercâmbio em outros países e estão atraindo cada vez mais pessoas. "É muito bom para nós", diz uma viajante

Trinidad durante viagem com as amigas

Trinidad durante viagem com as amigas

Acervo pessoal/Trinidad Bimonti

Nesta terça-feira, dia 1 de outubro, é celebrado o Dia Internacional do Idoso. Se ainda há pessoas que encaram a idade como inimiga, muitas outras têm seguido o caminho contrário e esbanjado disposição para curtir a vida ao máximo. E viajar com outros idosos, sem depender da família, é uma das maneiras que elas encontraram de fazer isso.

Viagens em grupos de idosos existem há um bom tempo, mas seguem atraindo muitos adeptos. Trinidad Bimonti, de 86 anos, é uma delas.

"Todo final de mês a gente viaja, faz bate e volta, geralmente em fazendas pelas redondezas. Uma vez por ano viajamos um pouco mais, por cinco ou sete dias. Às vezes vamos para a praia; neste ano vamos para Olímpia (interior de São Paulo). Eu gosto muito dessas viagens", conta a aposentada.

Trinidad adora viajar sozinha

Trinidad adora viajar sozinha

Acervo pessoal/Trinidad Bimonti

Natural de Sorocaba, em São Paulo, Trinidad é membro da diretoria do Grupo Raízes da Melhor Idade de Porto Feliz, organização do município do interior paulista que promove passeios assim e tem como objetivo ajudar os idosos a terem uma vida melhor e mais saudável. Para ela, que é viúva há nove anos, viajar 'sozinha', sem a família, reforça a própria independência.

"Sempre viajamos em grupo, só com os amigos, e isso nos faz muito bem. Todos os idosos gostam muito. A sensação que fica é de liberdade".

Mulheres são maioria

Trinidad faz parte daquele que é o maior público desse tipo de viagem, como diz Rodrigo Pastore, diretor da Pastore Turismo, agência especializada em viagens na terceira idade.

"90% dos nossos clientes são mulheres, a maioria viúva. Elas viajam sós, mas conhecem outras passageiras e formam amizades. Algumas vão em grupos de amigas. É muito difícil um homem ir sozinho. A maioria deles viaja em casal", explica.

Destinos favoritos

Rodrigo afirma que, apesar de pacotes internacionais serem os campeões de vendas, há passageiros com todos os gostos. 

"Tem quem prefira viagens rodoviárias de fim de semana, porque muitos ainda trabalham, e outros que gostam de destinos como nordeste, praias, natureza... Mas o que mais vende na nossa empresa é viagem internacional", conta. "Os destinos que mais solicitam são destinos culturais, que remetem a alguma coisa da vida deles. Amam ir para a Europa, para Portugal, Itália e Grécia, por exemplo. Lugares com bastante história e cultura".

Além do turismo

As viagens para grupos de idosos não se limitam apenas à diversão. Muitas pessoas buscam se aprofundar na cultura de outros países e acabam optando por programas de intercâmbio, bem comuns entre os mais jovens. É o que explica Roberta Gutschow, diretora da Roda Mundo Intercâmbio.

"Muitos querem melhorar o idioma para poder viajar mais sem precisar da ajuda dos filhos para se comunicar. O intercâmbio faz bastante sucesso, nos tornamos especialistas nisso devido a tanta procura. Eles ficam muito felizes em saber que há um intercâmbio para a faixa etária deles", diz. "E esses programas geralmente são mais baratos do que uma viagem a turismo, pois costumam ter maior duração".

Cuidados extras

Planejar uma viagem para pessoas da terceira idade requer alguns cuidados especiais. Rodrigo Pastore lista alguns deles, que sempre são levados em consideração pela agência:

• Seguro viagem com seguro saúde
• Seguro jurídico
• Seguro de volta antecipada
• Estrutura da acomodação — hotel tem de ter ambulatório, serviço 24 horas para o caso de emergência, corrimão nos banheiros, cadeira de rodas disponível etc.
• Bilhetes aéreos sempre no horário da manhã, nunca à noite, para o conforto dos passageiros