Bichos Santuário na Síria abriga mais de mil gatos resgatados da guerra

Santuário na Síria abriga mais de mil gatos resgatados da guerra

Abrigo tinha sido fechado por causa dos conflitos em Aleppo e foi reaberto em Idlib para proteger e cuidar dos felinos

Reuters
Cuidadores tomam conta de mais de mil gatos no santuário reaberto na Síria

Cuidadores tomam conta de mais de mil gatos no santuário reaberto na Síria

Reuters/Khalil Ashawi

Quando a guerra na Síria forçou Alaa al-Jaleel a fechar seu santuário de gatos, um abrigo para os felinos, em Aleppo, em 2015, e fugir para o norte, em direção à cidade de Idlib, ele levou cerca de 100 animais consigo.

No novo local, ele conseguiu reabrir o abrigo e, hoje, o "Santuário Ernesto" abriga mais de mil animais. E, como se pode imaginar, a hora de alimentar os felinos pode ser bem caótica e animada com os miados dos bichinhos.

“A maioria dos gatos tem ferimentos por causa da guerra e também porque seus antigos cuidadores tiveram de deixá-los para trás na hora de fugir do conflito e deixar suas casas. Nós, então, oferecemos a esses animais resgatados abrigo, cuidados médicos e comida", contou Mohamad Wattar, novo gerente do local, à Reuters.

O santuário recebeu o nome em homenagem ao gato favorito de mulheres italianas que ajudaram a dar continuidade ao abrigo enquanto ele estava sendo realojado. O novo santuário agora é maior, cercado, e ainda é mantido pelas forças de resistência síria.

Últimas