Pitbull resgatado por ONG desaparece de santuário para pets

Organização responsável pela recuperação do animal busca informações

Pit bull Prince vivia no santuário para a raça desde maio de 2011

Pit bull Prince vivia no santuário para a raça desde maio de 2011

Reprodução/Facebook

A ONG de resgates e recuperações animais SalvaCão passa por um período de dúvida, tristeza e irritação. Um de seus cães desapareceu do local onde estava abrigado. O pitbull Prince, que aguardava adoção desde maio de 2011 no Santuário de Pit Bull situado em Embu-Guaçu, região metropolitana de São Paulo, não vem sendo localizado desde a última sexta-feira (6).

A organização não governamental não possui sede própria e por isso faz uso de hotéis, abrigos e casa de colaboradores para que seus animais não voltem para as ruas. Segundo Alessandra Siedschlag, presidente do SalvaCão, o projeto pagava R$ 450 mensais para que Prince vivesse no santuário especializado na raça. Ainda de acordo com Alessandra, o animal recebeu uma proposta de adoção e por isso realizaram contato telefônico com o Santuário PitBull. A reposta, para surpresa da ONG, é que o animal tinha sido adotado há 20 dias.

— Fernanda e Paulo, donos do santuário, disseram que não nos deram a notícia porque queriam que fosse surpresa. Então, pedi que eles fornecessem os dados da pessoa que adotou o Prince, mas eles disseram que não passariam. Falamos com eles na sexta-feira por duas vezes, anteontem escrevi e-mail e falamos ao telefone e foi-nos informado que logo à noite teríamos os dados. Até agora, nada aconteceu.

Na terça-feira (10), Alessandra tentou mais uma vez contato com o Santuário Pit Bull e foi informada que não receberia os dados do adotante já que o ato configuraria "quebra de sigilo", nas palavras de Paulo Melo.

Antes do episódio desagradável com Prince, a ONG SalvaCão não havia tido nenhum tipo de problema com o local.

— Nunca tivemos problema e nunca ouvi falar de ninguém que tinha tido. Porém, desde a semana passada, quando começamos a falar sobre o sumiço, apareceram mais quatro casos semelhantes na internet. Todos os relatos foram como o de Prince: cães que deveriam estar lá e não estão mais.

Oito meses após agressão, pit bull de Luize Altenhofen fica cego
Gata adota filhote de pit bull órfão nos Estados Unidos

A ONG SalvaCão segue sem notícias de Prince. Apelos nas redes sociais têm sido feitos a todo momento. Procurada pela reportagem do R7, o Santuário Pit Bull não atendeu aos telefonemas e excluiu o perfil oficial no Facebook.

Inconformada, Alessandra Siedschlag faz seu último apelo.

— Não entendo como ninguém denunciou antes esse lugar. Não entendo como deixaram quieto. O meu maior desejo agora é saber o que houve com o Prince e saber como ele está.