Bichos Interação entre crianças autistas e gatos traz benefícios, entenda

Interação entre crianças autistas e gatos traz benefícios, entenda

Estudo ponta que crianças com autismo desenvolvem habilidades emocionais, sociais e cognitivas ao conviver com pets

Os pequenos com autismo podem se beneficiar com o convívio com gatinhos

Os pequenos com autismo podem se beneficiar com o convívio com gatinhos

Reprodução/Pexels

Na busca por informação sobre os benefícios da interação humano-animal, surgem resultados promissores de um estudo da Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, financiado pelo HABRI (Human Animal Bond Research Institute). As pesquisas identificaram que crianças com autismo foram capazes de estabelecer melhor vínculo afetivo após a adoção de um felino. Uma boa notícia para o Dia do Orgulho Autista, celebrado nesta sexta-feira (18).

Os estudos realizados pela universidade apontam que a presença dos gatos na vida de crianças autistas causa efeitos positivos no desenvolvimento cognitivo e de aprendizado do vocabulário, pois os felinos interagem com os pequenos sem transmitirem a sensação de "pressão", geralmente causada pela busca de reciprocidade afetiva e demonstrações intensas de carinho.

Os gatos, pelo contrário, recebem carinho sem demonstrar e podem passar horas olhando para uma imagem em absoluto silêncio.

Dessa maneira, tanto os pequenos quanto os pets podem curtir seus silêncios naturalmente e juntos. Os animais também auxiliam muito o emocional dos pais ao verem o filho interagir com um bichinho, quando a criança tem dificuldade de interação com a família.

Crianças com Déficit de Atenção também se beneficiam do convívio com os felinos, com melhoria no desempenho e desenvolvimento na comunicação, raciocínio, percepção e memória.

Benefícios para a saúde

Além disso, a pesquisa do Centro de Nutrição e Bem-Estar Animal WALTHAM™, da Mars Petcare, mostra que há um desenvolvimento fisiológico, pois o contato com pets pode diminuir o risco de as crianças desenvolverem alergias futuras.

Para promover mais benefícios na relação de laços entre crianças e pets, a interação entre eles deve ser sempre monitorada por adultos para evitar imprevistos em que a criança pode se machucar ou exceder o limite imposto pelo animal e sempre procurar um especialista para qualquer eventualidade.

Últimas