Bichos Especialista explica como é a alimentação saudável para pets

Especialista explica como é a alimentação saudável para pets

Dieta para cães e gatos deve levar em consideração a raça, o sexo, o peso, a idade, a castração e o nível de sedentarismo

Muitos tutores têm buscado opções mais saudáveis para oferecer aos pets

Muitos tutores têm buscado opções mais saudáveis para oferecer aos pets

Reprodução/Pexels

A busca por uma rotina com mais bem-estar e opções saudáveis é uma mudança comportamental que também se estendeu para o mundo dos animais domésticos. Afinal, os pets são integrantes da família e cuidar da alimentação deles é o primeiro passo para manter a saúde em dia. Thaís Matos, médica veterinária da DogHero, orienta os tutores de pets a fazerem escolhas mais conscientes e que sejam adequadas à realidade e aos hábitos do animalzinho.

Thaís orienta que, se você cogita mudar o tratamento que tem com a alimentação do seu pet, é importante buscar um veterinário para a orientação correta, já que as escolhas do que oferecer a eles são baseadas em uma série de fatores, como: raça, sexo, peso, idade, castração e nível de atividade e disposição dos bichos.

“A rotina não deve ser alterada, e quando falamos de uma dieta balanceada, não devemos mexer nos horários e nem na quantidade das refeições. Em tempos de mudanças no dia a dia, como tem sido na quarentena, acabamos passando mais tempo em casa e, por consequência, estamos sujeitos a abrir muitas exceções na rotina do pet. Isso pode causar alterações comportamentais e fisiológicas preocupantes”, diz Thaís.

A veterinária explica ainda que fatores relacionados à saúde, como alergias ou rejeição a algum tipo de alimento, também são avaliadas por um profissional na hora de definir a dieta dos pets.

“Essas condições requerem cuidados extras com o cardápio. Animais com alergia alimentar não esclarecida, por exemplo, precisam fazer primeiro uma dieta de eliminação [de alguma comida em particular] para identificar o que pode estar causando o quadro”, afirma.

Dicas da veterinária

Uma grande variedade de frutas e legumes são recomendadas e o ideal é sempre retirar cascas e todas as sementes, pois muitas são tóxicas e podem fazer com que o pet se engasgue. Pequenas quantidades são suficientes para fornecer os nutrientes necessários.

Para animais com problemas articulares, a alimentação é um dos pontos principais para prevenir e amenizar os sintomas. Nesse caso, a ração com componentes específicos, como cálcio, condroitina, colágeno, ômegas 3 e 6, etc, é a melhor opção.

A rotina é fundamental: ofereça duas a três porções de comidas por dia, de forma fracionada, disponibilizando o alimento sempre nos mesmos horários. No intervalo, evite dar muitos petiscos ou pedaços da sua própria refeição. Isso induz o animal a pensar que sempre que o tutor estiver comendo, ele irá receber algo também.

Se o pet estiver obeso é importante evitar petiscos em excesso e o tutor deve priorizar uma alimentação mais natural, incluindo legumes e frutas. Porém, é necessário consultar as recomendações de um veterinário, além de estabelecer uma rotina para o animal se exercitar.

Últimas