Bichos Entenda por que não se deve brincar com um cão-guia

Entenda por que não se deve brincar com um cão-guia

Eles são fofinhos, mas profissionais: necessários na inclusão de pessoas com deficiência, animais têm direitos garantidos por lei

  • Bichos | Do R7

Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão são os mais aptos para a função

Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão são os mais aptos para a função

Reprodução/Dog Hero

Dentre as profissões caninas, ser um cão-guia com certeza está entre as mais nobres e adoráveis, mas requer altas doses de profissionalismo. Responsáveis por agilizar a mobilidade e garantir a inclusão de pessoas com deficiência, os bichinhos têm direitos especiais garantidos por lei, e deveres também. 

De acordo com a veterinária Thais Matos, que também é especilista na área de Segurança e Confiança da Dog Hero, embora os cães-guias sejam animais dóceis e sociáveis, não se pode brincar normalmente com eles, pois precisam estar 100% focados no trabalho. 

"Vários desafios são enfrentados por quem possui deficiência visual, e o cão-guia acaba por transformar e salvar muitas vidas”, explica a veterinária no Dia Internacional do Cão-Guia. Os animais também podem atuar como cães de serviço - ajudando pessoas autistas e diabéticas - ou ouvintes capazes de reconhecer sons de telefone, campainhas e até de um bebê chorando. 

Cães heróis: conheça uma 'tropa de elite' com faro de justiça

De acordo com o último Censo do IBGE (2010), 3,4% da população é portadora de necessidades visuais. Nesse cenário, os animais funionam como os olhos de seus tutores, e garantem que eles tenham maior mobilidade em ambientes públicos e podem entrar em qualquer lugar, segundo estabelece a Lei11.126 de 2005, que reconhece que o direito à pessoas com deficiência visual. 

Veja também: estes cachorros provam que fofura não tem idade 

Últimas