Bichos Animais de estimação podem comer ovos? Especialista explica

Animais de estimação podem comer ovos? Especialista explica

Com diversos benefícios estéticos e para a saúde dos pets, veja como inserir essa potente proteína na dieta de cães e gatos

Ovos são proteína pura e ajudam a preservar a saúde de cães e gatos

Ovos são proteína pura e ajudam a preservar a saúde de cães e gatos

Reprodução/Pexels

Muita gente se pergunta se o ovo, esse alimento tão básico na dieta do brasileiro, pode entrar também no prato dos pets. As propriedades desse ingredientes, nutricionalmente muito rico, fornecem por si só a resposta: ovo é praticamente proteína pura, ingrediente essencial para a alimentação dos humanos e dos cães e gatos. Quem esclarece a questão é Milena Cornacini, nutricionista clínica, esportiva e ortomolecular.

De acordo com a especialista, dentre os alimentos in natura e frescos, o ovo é uma excelente fonte de nutrientes importantes: proteína de alto valor biológico (aquela que fornece todos os aminoácidos essenciais ao organismo), vitaminas A, E e B6, minerais como zinco, cálcio, fósforo e ferro, além de ômega 3.

Já a médica veterinária da DogHero, Stella Figueiredo, ressalta que a albumina, também presente nesse alimento, auxilia na regeneração e na força dos tecidos musculares dos bichos.

"O nutriente contribui para que o pet tenha um corpo mais forte e saudável. O triptofano é capaz de gerar mais bem-estar e tranquilidade, portanto pode auxiliar tanto na diminuição da irritabilidade como da ansiedade do pet", explica. 

Esclarecendo as dúvidas

Segundo Milena, o alimento não deve ser oferecido caso o animal tenha alterações das funções renal ou hepática, bem como em casos de alergia, intolerância ou sensibilidade a algum componente. 

A veterinária comenta que do ovo deve estar sempre cru, sem sal e frio, como petisco entre as refeições, respeitando a quantidade média de duas vezes na semana,  A casca também pode ser inserida na dieta por ser rica em cálcio, basta que ela esteja bem moída, quase em pó.

"Por possuir grande quantidade de proteínas e gorduras, se o pet tiver tendência a obesidade
ou for obeso, o tutor deve retirar a gema e dar apenas a clara. Para pets com dificuldades na digestão, o tutor deve buscar a orientação do médico veterinário", diz Stella.

Pets filhotes e idosos são mais sensíveis, portanto esse tipo de alimento precisa ser evitado. "Além disso, nunca se esqueça que a alimentação deve ser balanceada, com isso, não é necessário que você inclua o ovo na alimentação diária, mas pode sim oferecer como petisco ou como agrado em quantidades pequenas", finaliza ela.

Dica para utilização da casca

A nutricionista Milena ressalta que a casca do ovo é riquíssima em cálcio e pode ser oferecida aos animais na forma de farinha, e quanto mais fina, melhor a absorção e o aproveitamento.

"O cálcio é um mineral necessário para a saúde dos ossos e dos dentes, além de ter papel essencial na contração muscular, na coagulação sanguínea e na transmissão dos impulsos nervosos", explica a profissional.

Para otimizar o aproveitamento do cálcio presente na casca de ovo, dissolva o pó em água com limão (para cada 10 cascas de ovos, acrescente 250 ml de água e 2 colheres de sopa de suco de limão) e deixe secar. Uma colher (de chá) de farinha de casca de ovo fornece 1.800 mg de cálcio. Vale lembrar que, antes de alterar a alimentação de seu pet, é importante consultar um médico veterinário para melhor orientação.

Últimas