Bem Estar Três em cada dez marcas de feijão têm agrotóxico acima do permitido

Três em cada dez marcas de feijão têm agrotóxico acima do permitido

Ministério da Agricultura mostra resultado ainda pior no feijão-de-corda, já que 89% das amostras tinham substância além do limite

  • Bem Estar | Misael Mainetti, da Record TV

Quantidade de agrotóxico no feijão é preocupante

Quantidade de agrotóxico no feijão é preocupante

Misael Mainetti/Record TV

O preço pode estar salgado, mas não falta feijão na casa da dona Maria José de Araújo, moradora da zona norte de São Paulo. E a família adora o tempero da dona de casa. Para se livrar de sujeira, ela deixa o feijão de molho no vinagre. E os agrotóxicos?

Um estudo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento aponta que o índice de agrotóxico do feijão está acima do permitido. O levantamento aponta que 89% das amostras de feijão-de-corda e 32% de feijão comum, coletadas em 2019, estavam com índice acima do permitido. Significa dizer que três em cada dez marcas de feijão apresentam alguma irregularidade junto às autoridades de saúde.

Em 2020, os feijões continuaram com problemas: 77% das amostras do feijão-de-corda e 37% do feijão comum apresentavam índices de agrotóxicos fora do padrão.

Paula Carpes é toxicologista e tem uma dica importante: "Ferva o feijão com bicarbonato de sódio, depois jogue essa água fora e comece de novo a preparação; isto vai reduzir a quantidade de agrotóxico no grão".

Ao todo, a última pesquisa do ministério analisou 37 produtos entre 2019 e 2020. Além do feijão, o pimentão e o morango também apresentaram altos índices de resíduos de agrotóxicos.

A longo prazo, o consumo de agrotóxicos, acima do permitido, causa doenças como câncer. E a substância está presente em praticamente todos os alimentos. Então, use bicarbonato de sódio em frutas, verduras e legumes. E não precisa parar de comer feijão.

Últimas