Planejar é o segredo para sair do sobrepeso

Muitas pessoas ganharam uns quilinhos extras na pandemia. Mas, com planejamento é possível sair dela mais leve do que entrou

Sport Life
Shutterstock

Shutterstock

Sport Life

Mais tempo em casa, mais restrições, mais dificuldade de praticar exercícios, mais preguiça de se alimentar corretamente. Com tanto ‘mais’ ficou quase impossível não ter acrescentado alguns quilos ao seu peso ideal durante a pandemia, que já completa 14 meses no Brasil. Porém, Marlen Trevizan, nutricionista do Smart Fit Nutri, aponta que, se planejar corretamente, ainda é possível sair dessa melhor do que entrou.

A especialista diz que apenas com uma alimentação adequada é possível reverter esse quadro, mas reforça a necessidade de se movimentar, mesmo que um pouco em casa. “Sim, é possível, pois a perda de peso vai depender do déficit calórico, ou seja, se você consumir mais calorias do que está gastando de energia seu corpo vai estocar o restante e todo excesso acaba virando gordura. Porém, tentar manter o mínimo de atividade física nem que seja na sala de casa, quintal, ou qualquer espaço que seja possível, é extremamente importante para melhorar esse gasto energético e auxiliar na manutenção de peso”, conta.

Para ela, o segredo está em se planejar. “Evite escolher o que vai comer estando com pressa, pois vai acabar pegando o que é mais prático, fácil e rápido, o que nem sempre é a opção mais saudável. Respeite seus limites, sua saciedade e se organize. Procure sempre um nutricionista para te orientar, elaborar um plano alimentar que esteja dentro do que você precisa e que supra suas necessidades segundo seu objetivo”, aponta.

A nutricionista reforça que o pior problema está nos excessos cometidos. “Manter uma boa relação com a comida é um passo muito importante. A gente não precisa se privar de comer o que a gente gosta. A refeição independente do objetivo, tem que ser algo prazeroso, porém, deve ter equilíbrio. Tente sempre se planejar, sentir as suas necessidades, controlar o que está ingerindo, não se alimentar por sentimentos (comer algo por estar triste, estressado ou só comer por comer), comece a se questionar sobre o que você está consumindo, se é apenas uma vontade de comer ou se realmente é fome”, reforça.

Esse planejamento precisa ser iniciado desde o momento em que você vai ao mercado realizar suas compras. É importante fazer uma lista do que precisa e evitar estar com fome no momento, pois assim você acaba comprando alguns alimentos que não precisa. Evite o consumo de alimentos processados e ultraprocessados.

Marlen fez uma lista de alimentos de alimentos in natura ou minimamente processados que devem ser incluídos no planejamento.Grãos empacotados (arroz, feijão, grão de bico, lentilha, amendoim, ervilha,
milho);

– Farinhas (de trigo, de mandioca, fubá de milho, polvilho, amido milho);

– Macarrão e outras massas frescas ou secas;

– Carnes frescas ou congeladas (de frango, peixe, boi, porco);

– Ovos;

– Leite pasteurizado ou em pó;

– Frutas, legumes e verduras;

Por fim, a profissional dá uma última dica. “Planejar a elaboração de suas refeições. Tire um tempo para prepará-las e congelá-las, se for o caso, sempre evite o desperdício, utilize quantidades controladas de sal, óleo e açúcar… Nada em exagero”, conclui.

Últimas