Sport Life Inteligência diferenciada de CR7 pode explicar caso com Coca

Inteligência diferenciada de CR7 pode explicar caso com Coca

Treinador mental de atletas, Lincoln Nunes explica que Cristiano Ronaldo sequer percebeu o quanto que a ação teria impacto negativo ao patrocinador

Sport Life
Shutterstock

Shutterstock

Sport Life

Uma atitude inesperada do atacante português Cristiano Ronaldo tem dado o que fazer. O atleta participava de uma entrevista coletiva quando ao perceber a presença de refrigerantes na mesa da conferência, logo os afastou e os trocou por água. O gesto trouxe prejuízos para a maior fabricante deste tipo de bebidas do mundo e tem gerado muitos comentários.

Porém, o que pouco se debateu até o momento sobre o assunto é que essa atitude não foi um ato de rebeldia contra a marca, mas na verdade é a confirmação de um lifestyle rígido de um atleta de alto nível, revela o treinador mental de atletas, Lincoln Nunes: “O Cristiano Ronaldo é um atleta que sabe tomar micro decisões que o colocam no patamar em que ocupa hoje, todos os dias. Isso é automático para ele. Então, nem percebeu o quanto que a ação poderia impactar negativamente o patrocinador da competição”.

Segundo o treinador, “o grande problema é que os atletas ignoram o poder dos micros resultados e das microdecisões Isso somado a pequeno, médio e longo prazo, gera uma repercussão gigantesca lá na frente. Alguns deles, diferentemente do Cristiano Ronaldo, olham para uma lata de refrigerante e pensam: ‘ah! Mas é só mais um refri, é só mais um hambúrguer, é só mais uma balada, é só mais uma cerveja’. Então, vai somando ao longo dos anos e chega um momento em que o atleta não consegue mais medir, o que, na verdade, ele nunca conseguiu medir: o impacto negativo dessas microdecisões”.

Além disso, Lincoln acredita que o que diferencia Cristiano Ronaldo de outros atletas é a sua capacidade de lidar com as microdecisões. “Assim como sabe se posicionar e escolher o momento exato de estar dentro da área para marcar, ele sabe escolher o que é melhor para sua carreira esportiva”. Lincoln ainda destaca que “o que é automático para o CR7, não é para a maioria das pessoas. E é isso que o torna um ser humano diferenciado em todos os sentidos. É isso que divide um atleta comum de um extraordinário”, completa.

Últimas