Sport Life Dor nas costas cresce 41% com as pessoas trabalhando em casa

Dor nas costas cresce 41% com as pessoas trabalhando em casa

Os maus hábitos aliados a permanência em casa fizeram com que o número de pessoas com dor nas costas aumentasse 41% na pandemia

Sport Life
Shutterstock

Shutterstock

Sport Life

Com as pessoas mais tempo em casa, com home offices improvisados e maior taxa de sedentarismo, o número de pessoas com dor nas costas aumentou.

Segundo pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 41% dos entrevistados passaram a sentir dores nas costas durante esse período e dos que já sofriam de dores crônicas, mais de 50% afirmam que o desconforto aumentou durante a quarentena. Outra pesquisa importante revelada sobre esse problema, foi apontada pelo Google que detectou que o termo “dor nas costas” teve crescimento de 76% desde o início da pandemia no Brasil, de acordo com o Google Trends, serviço de análise de tendências do buscador.

Para o personal trainer Wagner Favale, esses índices comprovam como os maus hábitos de saúde durante a pandemia tem refletido em regiões do corpo. “Muitas pessoas tiveram que adaptar seu ambiente de trabalho em casa, fazendo uso de assentos e mesas não apropriados para ficarem tantas horas sentadas. Além disso, apesar de haver um movimento de pessoas que estão praticando atividades físicas em casa, muitas ainda suspenderam suas práticas e não retornaram, aumentando a taxa de sedentarismo, principalmente infantil, explica.

Postura correta no Home Office

Para evitar a dor nas costas ao trabalhar sentado, com computador ou notebook é importante verificar a altura da tela. Ela precisa estar alinhada ao campo de visão do usuário. Por isso, é necessário usar apoios embaixo da tela, que podem ser livros, revistas ou uma caixa. Ou seja, não importa o que você usa e sim suspender o visor e o deixar alinhado à altura dos olhos.

Já as mãos e antebraços precisam estar apoiados na mesa. No caso de notebook, ao suspendê-lo, o teclado ficará no alto. Contudo, é necessário utilizar um teclado externo para deixá-lo na mesa enquanto o notebook ficará suspenso.

Já no assento, as mais indicadas são as poltronas ou cadeiras com braços e que possuam o encosto alto, dando apoio à coluna. É importante ajustar as regulagens de inclinação e altura e para saber a forma mais adequada, basta perceber e garantir que as pernas estejam em um ângulo de 90º.

Os pés também ajudam a evitar a dor nas costas. Há modelos de apoio com inclinação que ajudam e induzem o corpo a permanecerem em uma melhor posição, principalmente mantendo os quadris posicionados corretamente, sem quem eles avancem.

Postura correta na utilização de celulares

Já na utilização de celulares, ao invés de abaixar a cabeça para visualizar a tela, o usuário deve usar um dos antebraços para apoiar o cotovelo do outro braço, que está com o celular. Dessa forma o aparelho ficará suspenso e alinhado ao campo de visão. E o outro braço estará dando apoio para evitar que o usuário se canse de ficar nessa posição.

Trabalhar em pé

Um estudo da Sociedade Britânica de Psicologia mostrou que as pessoas gastam em média cinco horas e 41 minutos sentadas por dia e os danos, incluindo a dor nas costas, são inúmeros para quem fica muitas horas nessa posição. Na contramão desse comportamento, cresce o número de estudos e adeptos a se trabalhar em pé. “Pesquisas apontam que essa postura aumenta a expectativa de vida e reduz o risco de problemas cardiovasculares. Por isso, evite passar mais de 20 minutos sentado na mesma posição. Além disso, é bom tentar alternar com a posição em pé, por volta de 10 minutos”, completa Favale.

Segundo ele, nos intervalos entre uma posição e outra é sempre bom caminhar. Mesmo que num pequeno espaço, indo ao banheiro, tomando um café, fazendo alguma atividade.

Por fim, a última dica é a mais importante para evitar a dor nas costas. “Não deixe tudo perto, de fácil alcance, justamente para motivar que a pessoa se levante e se movimente periodicamente”.

Últimas