Sport Life Atividade física intensa prejudica a eficácia do botox?

Atividade física intensa prejudica a eficácia do botox?

Veja o que fazer para que o botox não tenha seu efeito reduzido na redução de rugas e linhas de expressão

Sport Life
Shutterstock

Shutterstock

Sport Life

Quanto mais intensa a atividade física, mais caretas fazemos para conseguir completá-la, né. Com isso, surge uma dúvida: elas podem afetar a durabilidade de procedimento estéticos, como o botox?

“É verdade que quem faz atividade física intensa pode, não necessariamente vai ter, diminuição de alguns procedimentos. A toxina botulínica (o botox) está relacionada com quanto mais você exercitar alguns músculos onde a gente a aplica, por exemplo, os músculos do bravo (entre as sobrancelhas), quanto mais você exercita eles, mais rápido ele volta a mexer. Mas o principal fator da duração da toxina botulínica com o exercício intenso é a diminuição do % de gordura. Quando ele diminui, normalmente vem acompanhado de um aumento da contração muscular mais cedo depois da toxina botulínica”, conta o dermatologista Daniel Coimbra.

Existe então alguma atividade que seja considerada a melhor para quem passou por algum procedimento estético? “Sobre os preenchimentos, se fizer o botox em áreas onde tem muita atividade muscular, como queixo e boca, tem uma duração menor. Áreas com pouca mobilidade da face, como nariz, parte superior da bochecha, olheira e outras áreas tendem a durar mais. Não acredito que o exercício físico no corpo influencie nisso. O que ocorre é, quando o preenchimento vai repor um volume que foi perdido na face pela idade, quando você diminui o % de gordura por exercício intenso, você perde a própria gordura do rosto, o que te deixa com aspecto mais cansado e aparência de que perdeu volume no rosto”, diz.

“Aparência de perda de volume no rosto gera aparência de como se tivesse perdido preenchimento do botox, porém se for realizar um ultrassom provavelmente o preenchimento está ali. O que ocorre é a perda da própria gordura do rosto pelo exercício intenso podendo o paciente necessitar de maiores quantidades de preenchedor. Eu recomendo atividades de pouco impacto. Então, atividades de muito impacto como corrida, acredito que esteja relacionado com uma maior perda de volume do rosto e talvez (estudos ainda não comprovaram isso) pode haver um aumento da flacidez da face. Atividades com exercício extenuante ou que exijam muito esforço do paciente devem ser feitos no máximo 3 vezes na semana. Já está comprovado que atividade física intensa muito frequente ou todos os dias da semana levam ao aumento de radicais livres no corpo com o aumento do envelhecimento. Procure atividades com menor impacto como bicicleta ou outros esportes. O futevôlei, por bater a cabeça na bola, não tem alteração nenhuma”, complementa.

Para finalizar, o especialista ainda fala sobre a durabilidade do botox. “A toxina botulínica dura de 4 a 6 meses. Normalmente, recomendo aos pacientes que apliquem de 4 a 6 meses dependendo da necessidade de cada um, do quanto aquele músculo está sendo recrutado, quanto vai estar mexendo, o quanto de linhas tem na pele, se o paciente está com aparência de cansado. Então, recomendo a aplicação próximo aos 4 meses, 3 vezes ao ano, mas tem pacientes que vão fazer 2 vezes ao ano, mas não existe regra e mesmo no mesmo paciente, dependendo de vários fatores sendo um deles a atividade física, a duração pode ser diferente de uma aplicação pra outra. Às vezes, ele pode dar um intervalo de 4 meses e em outras de 6 meses. O paciente deve estar ciente de que aquela regra antiga do Brasil, que aconteceu apenas aqui, de que a toxina devia ser aplicada a cada 6 meses não existe”, concluiu.

Últimas