Sport Life 6 passos para reprogramar a mente e começar a meditar

6 passos para reprogramar a mente e começar a meditar

Ao meditar, você consegue aumentar sua produtividade e ainda diminui os erros no trabalho. Reserve um tempo no seu dia para isso!

Sport Life
Shutterstock

Shutterstock

Sport Life

A meditação é um exercício no qual o indivíduo foca sua atenção em apenas um ponto específico como, por exemplo, na sua respiração, em um áudio guiado, um mantra e até mesmo objeto. A técnica visa reprogramar a mente para que a mesma alcance um estado de clareza mental e emocional relaxado e mais concentrado.

“A meditação vai trabalhar as áreas atencionais do cérebro, o que desenvolve melhor a atenção do indivíduo nas tarefas que escolhe fazer. Isso ajuda aumentar o foco dele no trabalho, o que diminui a quantidade de erros que possa cometer”, assim a fisiologista e meditadora Debora Garcia começou explicando.

“Com isso, a pessoa também vai aumentar a sua produtividade, quero dizer que a pessoa produz melhor e em menos tempo”, completa.

E embora o cotidiano seja conturbado, é possível separar um tempinho do seu dia para praticar o exercício. Abaixo, a especialista orienta o passo a passo para realizar a atividade.

Primeiro passo: escolha o método

“Meditar é focar a atenção em um ponto e se desligar da lógica por alguns instantes. De forma prática, a pessoa vai prestar mais atenção no ar que entra e sai pelas narinas, ou focar em um áudio de meditação guiado. Pode ser de olho aberto, observando um objeto e até mesmo repetições de mantras. Mas seja qual for o método, ele precisa estar claro para que a pessoa tenha uma boa prática “, disse.

Segundo passo: tempo

“Para quem vai começar a fazer em casa, sugiro pouco tempo de 10 minutos a 15 minutos, a prática também fornece benefícios com esse tempo mínimo, existem pesquisas que comprovam. Mas, para quem está com a mente muito agitada e nunca fez meditação, pode começar com 5 minutos e ir aumentando gradativamente, sem pressa. O grande ponto do tempo é que não é uma disputa, pelo contrário, é uma conquista de manter o foco de atenção por mais tempo. A música também ajuda na contagem do tempo”.

Terceiro passo: escolha um turno

“Não há uma regra rígida, mas existem horários que são mais fáceis, porque existem turnos que conseguimos controlar nossa rotina mais do que outros, por exemplo: de manhã e à noite. Cedo, porque a mente tem menos pensamento, poucas preocupações e está mais relaxada. À noite, a prática vai ajudar no processo de relaxamento, liberando neurotransmissores para um bom descanso. Ao longo do dia também é válido, mas podem ocorrer imprevistos. O ideal é testar e encontrar o seu horário fixo”.

Quarto passo: ambiente

“Para quem está começando, recomendo que seja um local relativamente mais calmo. Costumo dizer a seguinte frase: ‘O mundo não para pra gente meditar, principalmente para quem mora em grandes metrópoles, e não dá para esperar que se tenha um silêncio absoluto do mundo externo para que a pessoa sente para meditar’. Aconselho também a avisar as pessoas de casa de que precisa de alguns minutos sozinho e por quanto tempo, para não ser interrompido. Então, quanto menos estímulo estiver de fora, fica mais fácil focar dentro.”.

Quinto passo: escolha a posição

“É recomendado realizar a meditação sentado, pois deitado fica fácil de adormecer. Mas sentado de maneira confortável, sem a necessidade de cruzar as pernas, por exemplo. As costas devem estar alinhadas, para facilitar o fluxo respiratório, a passagem do ar”.

Sexto passo: escolha um áudio

“Vai depender do método, por exemplo, a pessoa pode fazer em silêncio, mas uma música vai ajudar a relaxar, escolha sons de natureza ou instrumental. Se for uma meditação guiada, ele já vem, geralmente, com uma música de fundo”.

Exercitando e praticando diariamente a meditação, dentro de alguns meses as mudanças físicas e mentais serão visíveis. Os benefícios serão percebidos na vida profissional também como um profissional mais criativo, entusiasmado, melhora a inteligência emocional, proporcionando melhor administração das próprias emoções. Desenvolvimento do autoconhecimento, suas competências, na descoberta e utilização dos seus pontos fortes e amenizar seus pontos fracos.

Últimas