Sport Life 12 dicas para correr com segurança durante a gravidez

12 dicas para correr com segurança durante a gravidez

Para quem é viciado em corrida, nada é desculpa! Entenda os cuidados necessários para manter a atividade mesmo durante a gravidez

Sport Life
Shutterstock

Shutterstock

Sport Life

Já mostramos aqui no Sport Life que a gravidez altera a passada nas corredoras. Mas ainda há muita dúvida se elas devem ou não se manter ativas e correndo durante esse período da vida.

Para aquelas que gostam de corrida de rua, a notícia também é animadora: é possível continuar com o treino, e porque não, arriscar uma participação em uma maratona, desde que mantenha os cuidados com os limites do corpo e observe, com atenção, as respostas que ele apresenta ao longo da atividade.

É necessário manter o corpo em movimento em todas as etapas da vida e não seria diferente durante a gestação. Praticar a corrida pode trazer inúmeros benefícios durante o período gestacional. “É necessário que os exercícios sejam adaptados para uma intensidade leve ou moderada, que tragam maior segurança. Saber definir esses parâmetros é o que gera maior questionamento entre as futuras mães e podem levar uma prática saudável a um risco iminente para a mulher e seu bebê”, comenta o Fisiologista e Personal Trainer Ricardo Aguas.

Para ele, a reação do organismo e o histórico de atividades, além de Avaliações Específicas de cada caso, é o que determina o nível de intensidade para cada mulher. “Alguns pontos devem ficar sempre em nosso radar, como por exemplo: realizar os treinos de acordo com os seus batimentos cardíacos ideais, respiração muito ofegante, dificuldade ao falar durante o treino. Nesse caso, podemos considerar como um exercício de alta intensidade. Sendo assim, aumenta o risco para um eventual problema”, emenda.

No caso da corrida, é possível dizer que é um bom esporte para ser praticado durante o início e um pouco mais da metade da gestação, podendo variar de acordo com a evolução de cada uma. Entre os principais benefícios estão o alívio das dores, melhora da respiração, estabilização do humor, além de um melhor condicionamento cardíaco e físico da mãe.

Para o fisiologista, é necessário que, antes de qualquer iniciativa, exista liberação médica. “Apenas com os exames adequados é possível determinar quais exercícios podem fazer parte da rotina de treinos e, inclusive, quando devem ser alterados, a fim de evitar um parto prematuro, ou até mesmo um aborto. Por isso é tão importante ter o acompanhamento do obstetra durante toda a gestação”.

12 dicas que podem ajudar a manter uma corrida mais segura:

1 – Alimentar-se corretamente antes dos exercícios.
2 – Utilizar sempre uma roupa leve e confortável.
3 – Escolher um tênis que traga maior estabilidade e que também proteja o calcanhar e joelhos de um alto impacto.
4 – Hidratar-se durante e após o treino.
5 – Optar por locais e horários mais frescos.
6 – Parar imediatamente a qualquer sintoma de vertigem/tontura.
7 – Não fazer exercícios físicos se estiver doente.
8 – Parar imediatamente ao sentir dificuldade na respiração.
9 – Não exagerar na intensidade dos treinos.
10- Manter uma regularidade de dias de treinos, somente assim você terá os benefícios dos exercícios.
11 – Manter a corrida entre 30 minutos e 1 hora.
12 – Procurar sempre orientação profissional para saber a frequência cardíaca ideal para os seus treinos.

Últimas