Bem Estar Enfermeira cria despensa para ajudar colegas em sufoco financeiro

Enfermeira cria despensa para ajudar colegas em sufoco financeiro

Iniciativa de Stacy Mason serviu para suprir itens básicos para famílias de funcionários que já não conseguiam arcar com as compras durante a crise

Despensa solidária tem servido para ajudar colegas em sufoco financeiro durante pandemia

Despensa solidária tem servido para ajudar colegas em sufoco financeiro durante pandemia

Reprodução

Durante a pandemia do novo coronavírus, a enfermeira Stacy Mason, do Hospital Mary Washingon, no estado da Virgínia, EUA, percebeu que uma parte de seus colegas estava com dificuldade de levar itens básicos para casa: ou estavam sobrecarregados pelas duras horas de trabalho, ou eram os únicos provedores da família em meio à crise. Foi a partir dessa realidade que ela criou uma despensa solidária para que sua equipe pegasse o que quisesse. 

Veja também: '7 a 0 diário': profissionais de saúde relatam sobrecarga emocional

“Alguns dos funcionários com quem trabalho na UTI não conseguiram encontrar coisas como lenços umedecidos para seus filhos, ou  então não perceberam que precisavam de papel higiênico até irem para o armário e não tinham nenhum”, contou a enfermeira. Mason começou a perceber que os colegas de trabalho passaram a trocas itens de primeira necessidade entre si. 

"Você meio que ouviu funcionários conversando entre si, dizendo: 'Ei, você pode pegar isso' e "E pensei que se conseguíamos fazer isso entre nosso grupo de UTI, e somos cerca de 80 pessoas ou mais, por que não poderíamos fazer em uma escala maior?”

Com o apoio do hospital, Mason tomou a iniciativa de criar despensas de doação, as quais abastecia do próprio bolso. No entanto, outras pessoas começaram a aderir ao projeto, fazendo-o chegar a outros hospitais pelo estado. A despensa solidária agora tem sua própria unidade no Hospital Stafford e no grupo corporativo da Mary Washington Healthcare. 

“Espero que isso continue indefinidamente”, disse ela. “Acho que a fome é uma coisa muito real. Todos têm o direito de ter comida na mesa. Acho que é apenas uma forma de ajudar as pessoas a atender a essa necessidade, seja por causa da covid-19 ou por um problema contínuo."

Últimas