Saiba como evitar corte químico que deixou Kevinho quase careca

Dermatologista explica os riscos ao misturar produtos químicos e esclarece o que pode ter acontecido ao cabelo do funkeiro

O funkeiro chegou a mostrar os tufos de cabelo e depois publicou uma foto careca

O funkeiro chegou a mostrar os tufos de cabelo e depois publicou uma foto careca

Reprodução/Instagram

Na terça-feira (3), Kevinho surpreendeu os seguidores do Instagram depois de revelar que seu cabelo estava caindo em tufos. O cantor descoloriu as madeixas para ficar ainda mais loiro e acabou ocasionando o chamado corte químico. “Meu cabelo tá caindo, galera. É uma catástrofe", disse ele em um vídeo publicado na função stories.

A especialista Damaris Ortolan, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que alguns procedimentos químicos danificam a haste do cabelo e ocasionam uma alteração da cutícula e das proteínas do fio. Dependendo do grau da agressão, o cabelos se esfarela e então ocorre o corte químico como aconteceu com o funkeiro.

"Vou ter que ficar careca", disse o cantor

"Vou ter que ficar careca", disse o cantor

Reprodução Instagram

Tentar fazer em casa pode ser ainda mais perigoso. A recomendação da dermatologista é procurar sempre um salão de beleza qualificado para realizar um teste de mecha antes da aplicação total do produto.

“O profissional sabe o que pode misturar ou não. É necessário analisar o histórico de produtos já usados pela pessoa, pois algumas químicas são incompatíveis e podem provocar a queda”, esclarece Damaris.

“Mas se durante a química a pessoa perceber que está havendo uma alteração, o importante é remover o produto e tentar neutralizar para danificar o mínimo possível, normalmente as químicas já vem com esse neutralizante”, explica.

De acordo com a especialista, não é possível reverter os estragos de um corte químico, mas há formas para disfarçar, como cortar de vez ou usar uma prótese capilar. No caso de Kevinho, ele optou por raspar o cabelo.