Área de Mulher Progressiva japonesa, o que é? Como funciona e benefícios

Progressiva japonesa, o que é? Como funciona e benefícios

A progressiva japonesa é o procedimento que finalmente vai te dar o liso dos sonhos com resultados de longa-duração e cabelo saudável. Essa matéria Progressiva japonesa, o que é? Como funciona e benefícios foi criada pelo site Área de Mulher.

Area de Mulher

Quem não gosta de um cabelo lindo, brilhante e bem cuidado? Para aquelas atrás de todas as opções anteriores e com o bônus do liso impecável, saibam que ele existe. A possibilidade se tornou realidade com a progressiva japonesa, uma técnica profissional que promete alisar os fios à perfeição. Ganhando fama nos salões ao redor do país inteiro, o processo químico faz muito mais do que garantir o liso por algumas semanas, sua tecnologia sendo extremamente duradoura e mais saudável do que outras.

Mas afinal, por que a progressiva japonesa promete mais resultados do que outros alisamentos disponíveis no mercado? Os especialistas em cuidados com o cabelo garantem: o procedimento vai muito além pelo fato de alterar de forma absoluta a textura dos cabelos.  A progressiva deixa de ser uma salvação de alguns dias para se tornar algo muito mais viável. Quando aliada às várias outras etapas durante a realização, como o processo térmico, os resultados superiores são visíveis.

Antes de mais nada, alcançar todos os benefícios do procedimento só é possível por meio de um profissional, que vai te auxiliar e realizar todos os passos da forma certa. A progressiva japonesa não deve, portanto, ser feita em casa. Ela utiliza vários produtos químicos que só devem ser manuseados por quem entende deles.

progressiva japonesa

progressiva japonesa

Area de Mulher
Fonte: Aneethun

O que é a progressiva japonesa?

Primordialmente, é importante entender que a progressiva japonesa é um procedimento químico, que envolve o uso de produtos fortes o suficiente para modificar a estrutura do cabelo. Para atingir o nível de liso chapado, é necessário muito mais do que uma escova comum ou apenas uma lavagem diferenciada no salão. Além de seu maior objetivo, o processo também possui o bônus da hidratação, por conter queratina e colágeno, dois ingredientes-chave para um cabelo saudável.

Desse modo, a técnica do alisamento japonês é uma junção de fatores perfeitamente calculados para gerar resultado. Além dos produtos químicos, a reconstrução também envolve o recondicionamento térmico a temperaturas mais altas, no caso, a chapinha. No fim, a técnica deve eliminar de uma vez por todas a ondulação do cabelo.

Como funciona?

progressiva japonesa

progressiva japonesa

Area de Mulher
Fonte: Doux Clair

A progressiva japonesa começa com a aplicação da loção de til glicólico de amônia, ou tioglicolato de amônio, reconhecido como o ácido menos agressivo nos procedimentos de alisamento. Sua função é abrir as cutículas dos fios, ou seja, sua parte externa e mais exposta, de forma que seja possível reestruturar o que há dentro, as pontes de enxofre e hidrogênio. Em outras palavras, os dois elementos são o que compõem o fio. Quando expostos ao ácido, torna-se mais fácil moldá-los no formato desejado.

Logo em seguida, a loção à base do ácido é espalhada por todas as mechas e deve permanecer nelas por aproximadamente uma hora e meia, durante o tempo em que o cabelo deve permanecer aquecido por acessórios térmicos próprios do salão. Isso ocorre pois o produto precisa amolecer as fibras, sendo enxaguado após o tempo de descanso. Ainda úmidos, os fios são alisados com chapinha ou lâmina térmica.

Após realizado o processo, o efeito do ácido é revertido com o uso de uma loção neutralizante, interrompendo o processo químico forte nos fios. É preciso deixar o produto agir por 20 minutos antes de enxaguá-lo bem. Todo o procedimento até então leva de sete a dez horas, e você pode escolher secar o cabelo naturalmente ou fazer uma escova. O preço também varia em relação do comprimento do cabelo.

Quem pode fazer?

Area de Mulher

Area de Mulher

Area de Mulher
Fonte: All Things Hair

A progressiva japonesa é recomendada para todos os tipos de cabelo, desde que naturais. Cabelos com fios sensíveis, tintura, reflexos ou outros tipos de alisamento que levam química podem ter resultados negativos, devido ao alto poder do ácido utilizado no tratamento. Quanto aos coloridos, desde que semi-permanentes ou permanentes, quanto mais baixo o teor de oxidação, melhor. Caso os fios estejam sensibilizados, deve se passar por um tratamento intenso antes de resolver aderir ao alisamento japonês.

Por outro lado, às cacheadas interessadas no procedimento, cuidado: caso realizado, tenha em mente que seus cachos serão eliminados devido ao fator modelador do ácido, e a textura natural só pode ser recuperada quando os fios crescerem novamente. Dessa forma, progressiva é um passo que deve ser tomado com cautela por refazer completamente a estrutura do fio.

Quanto tempo dura a progressiva japonesa?

O procedimento dura em torno de quatro a seis meses, quando tomadas as precauções necessárias e seguidos os passos naturais de cuidados com o cabelo. Após esse período, é necessário fazer o retoque da raiz. Para que sua progressiva permaneça firme e forte, é importante manter uma rotina de hidratação, realizando-a pelo menos uma vez por semana, seja no salão ou em casa. São recomendados produtos que possam oferecer nutrição profunda, específicos para fios com alisamento, além de uma base de queratina e colágeno.

A progressiva japonesa, apesar da química forte, não leva formol em sua composição. O processo é feito de forma que o resultado possa ser o mais natural e saudável possível, sem precisar investir em produtos que ocasionem em fios danificados e baixa aderência. No fim, o aspecto do seu cabelo é de pura seda!

O que você achou dessa matéria? Assim como ela, talvez você se interesse por Aparência dos cabelos – Tipos, lavagem técnica e dicas

Fontes: All Things Hair, Cabelo, Teka Tecla

Imagens: All Things Hair, Aneethun, Doux Clair

Essa matéria Progressiva japonesa, o que é? Como funciona e benefícios foi criada pelo site Área de Mulher.

Últimas