Alto Astral Cosméticos sustentáveis: como fazer escolhas de beleza mais conscientes

Cosméticos sustentáveis: como fazer escolhas de beleza mais conscientes

Orgânicos, veganos, "cruelty-free"... Conheça a classificação dos produtos e saiba mais!

Alto Astral
Shutterstock

Shutterstock

Alto Astral

Muitas reflexões importantes vieram à tona no ano da pandemia… Uma delas quanto ao consumo consciente. Mais pessoas passaram a optar por produtos que agridem menos o meio ambiente e respeitam o bem-estar dos animais. No mercado de beleza, sempre atento ao comportamento de compra, já estão disponíveis vários cosméticos sustentáveis – que atendem aos requisitos, mas os rótulos ainda causam algumas dúvidas.

Expressões como cosméticos naturais, orgânicos, veganos, cruelty-free e biodinâmicos estão cada vez mais presentes nas embalagens. Mas o que está por trás da sua produção? Para te ajudar a fazer escolhas mais conscientes, o especialista em gestão de resíduos sólidos e fundador da Oceano Resíduos, Rafael Zarvos, criou um pequeno dicionário com tudo sobre os produtos eco-friendly. Confira!

Tipos de cosméticos sustentáveis para incluir na rotina de beleza

Cosméticos sustentável: como fazer escolhas de beleza mais conscientes

Cosméticos sustentável: como fazer escolhas de beleza mais conscientes

Alto Astral
Foto: Shutterstock Naturais

No Brasil, não existem ainda diretrizes que regulamentem a classificação de cosméticos naturais. Entretanto, de acordo com a IBD (Associação de Certificação Instituto Biodinâmico), um cosmético deve utilizar matérias-primas de origem vegetal, inorgânica-mineral ou animal (exceto vertebrados) para receber o selo de “natural”.

Sendo assim, a presença de qualquer insumo não-natural ou obtido por meio de reações não permitidas entre substâncias naturais desqualifica o produto dessa classificação. São exemplos de matérias-primas proibidas os corantes, fragrâncias ou conservantes sintéticos. Além disso, esses cosméticos sustentáveis devem destacar em seus rótulos quais ingredientes naturais, orgânicos e/ou advindos de extrativismo certificado estão presentes na fórmula.

Orgânicos

Baseados na sustentabilidade, eles utilizam produtos naturais e o seu manuseio não prejudica o meio ambiente. Para ser classificado como cosmético orgânico, deve conter pelo menos 95% de matérias-primas orgânicas, ou seja, sem aditivos químicos. A identificação desses cosméticos, que destaca quais foram os ingredientes utilizados, é feita através do selo do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica (SISOrg) ou do selo “IBD Orgânico”. Portanto, vale ficar atenta às embalagens se estiver buscando um cosmético nessa categoria.

Veganos

Basicamente, consistem em cosméticos sustentáveis que não utilizam nenhum tipo de matéria-prima de origem animal, inclusive derivados de petróleo. Além disso, a fabricante do produto não pode fazer o teste final em animais, bem como os fornecedores dos insumos devem comprovar que os ingredientes não foram testados em animais em nenhum momento. Em 2013, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) criou um selo para certificar os produtos veganos no país.

Cruelty-free

São produtos não testados em animais durante seu desenvolvimento, mas que não são necessariamente veganos. A fabricante também deve monitorar a cadeia de fornecedores para receber a certificação cruelty-free. Para encontrar esses cosméticos, procure pelo selo internacional “Leaping Bunny”, identificado pelo desenho de um coelhinho nas embalagens.

Biodinâmicos

Surgido em 1924, na Polônia, o conceito é precursor dos produtos orgânicos. Nele, o produtor utiliza os métodos da homeopatia aliados ao calendário lunar para cultivar a matéria-prima que será utilizada na produção. Assim como na agricultura orgânica, é praticada a compostagem e o uso de substâncias vegetais e minerais na adubação. Atualmente, a técnica é considerada uma espécie de “orgânico premium” e pode ser identificada pelo selo “Demeter”.

A tarefa de identificar os cosméticos sustentáveis acaba de ficar muito mais fácil, não é mesmo? Siga as dicas para começar a dar mais atenção aos rótulos dos produtos e fazer melhores escolhas ambientais, inclusive com os cuidados de beleza. Atualmente, já é possível encontrar todos os tipos de cosméticos nessas classificações e que não perdem em nada quanto à qualidade. Aproveite!

Colaboração: Rafael Zarvos, especialista em gestão de resíduos sólidos e fundador da Oceano Resíduos | Edição: Milena Garcia e Renata Rocha

Últimas